Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 19/03/2019 05:04


MASSACRES
Discussão sobre porte
de armas volta à tona


Fábio Moreira da Silva
Belo Horizonte

"'Sou eu que vou seguir você. Do primeiro rabisco até o bê-a-bá. Em todos os desenhos coloridos vou estar. A casa, a montanha, duas nuvens no céu e um sol a sorrir no papel. Sou eu que vou ser seu colega, seus problemas ajudar a resolver. Te acompanhar nas provas bimestrais, você vai ver. Serei de você confidente fiel, se seu pranto molhar meu papel'. O trecho acima dá início à canção Caderno, composta e interpretada pelo músico Toquinho, em uma espécie de apólogo dando vida a um caderno e suas súplicas. Pois bem, o Estado de Minas noticiou, na última semana, casos de armas sendo disparadas a esmo em uma escola de Suzano, interior de São Paulo, assim como em duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia. Entre as perdas, a professora mineira Marilena Umezu, que em sua vida cotidiana defendia o porte de livros e assim se anunciava nas redes sociais, como uma espécie de contraponto à atual legalização do porte de armas no país. Marilena era coordenadora pedagógica da Escola Estadual Raul Brasil, local da terrível tragédia. Entre os pertences dos dois assassinos da escola, um de 17 anos e outro de 25, diversos tipos de armas, assim como dois cadernos contendo desenhos de revólveres e de jogos de combate. Em relação a ambos os casos, o que incentiva o ser humano a cometer um ato tão grave? É possível se precaver contra tais atitudes assassinas? São questionamentos de difícil resposta. Entremos no campo das especulações. Em comum, nos casos, pessoas dispostas a cometerem qualquer ato insano, sem medição de qualquer consequência. Pois bem, no momento em que se discute o porte de armas na sociedade brasileira, peço licença para terminar a reflexão em súplicas do inocente caderno descrito na canção acima, fazendo coro à professora Marilena, defensora da educação. Brutalmente assassinada fazendo o que mais gostava. Frase da professora deixada em uma rede social: 'Somos a favor do porte de livros'. Voltaremos, então, à composição de toquinho: 'Sou eu que vou ser seu amigo, vou lhe dar abrigo, se você quiser.  Quando surgirem seus primeiros raios de mulher. A vida se abrirá num feroz carrossel e você vai rasgar meu papel. O que está escrito em mim comigo ficará guardado, se lhe dá prazer. A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer. Só peço a você um favor, se puder: Não me esqueça num canto qualquer'."


SUZANO
Precisamos ser
mais atentos


Jeovah Ferreira
Brasília

"Adolescentes que, provavelmente, todos os dias ao saírem para a escola se despediam dos pais na certeza de que voltariam aos seus lares logo que terminassem as aulas, não voltaram. Uma coordenadora pedagógica e uma agente escolar que deixaram seus lares para mais um dia de labuta também não voltaram. O mesmo aconteceu com um empresário, tio de um dos assassinos. Foram vítimas da crueldade de um adolescente e de um jovem que, pela barbárie praticada, faz a gente pensar que sofriam de insanidade mental. Será que essa tragédia não poderia ter sido evitada? É inacreditável que o movimento dos jovens no estacionamento não despertasse suspeição. Eles queriam que o carro ficasse estacionado na vaga mais ao fundo, distante da visão da guarita e da rua. Chegavam com mochilas, entravam no carro à tarde e saiam altas horas da noite. A polícia tinha que ter sido avisada. Não dá para dizer que um movimento desse é normal. A atitude do adolescente e do jovem gerava desconfiança. Volto a indagar: será que essa tragédia não poderia ter sido evitada? Em tudo precisamos estar atentos."


FUTEBOL
América tem time
para o Mineiro?

Ivan Silva
Itabira – MG

"A sina continua no América-MG. Está igual mulher de malandro: apanha, apanha e não toma vergonha. Virou marca registrada ressuscitar times em crise. Como um time que tem um estádio de primeiro nível, um excelente centro de treinamento, dono de shopping-center e de vários terrenos em áreas nobres da cidade não consegue montar um time competitivo? A falta de visão de jogo também causou a derrota para o Atlético-MG. Luan participou dos três gols e ninguém colou nele. Chegou a hora da decisão do dificílimo Campeonato Mineiro, com jogos mata mata. Se passar, o América demonstra que tem time para disputar a Série B."

ERRATA


Na edição de domingo do Bem Viver,
na página 3, o crédito correto de Júlia Ramalho Pinto é: sócia-diretora e curadora da Estação do Saber e psicóloga.

Em.com

Governo ganha primeira etapa para aprovar reforma da Previdência
"Se fosse bom para o trabalhador, não passaria. Mas essa corrente do "mau" que lidera o país quer, mais uma vez, nos sacrificar para aumentar o lucro do empresário. Não tem um só contra, porque todos vão ficar livres de pagar a Previdência e a empresa do ministro da Economia vai faturar alto, com sua previdência privada, e os banqueiros também."
. Claudia Antunes

"Estes políticos brasileiros estão mais preocupados em aparecer. Essa fogueira de vaidades vai levar a Previdência Social e o próprio país para o buraco.”.
. Maria do Rosário

"A reforma será brandidíssima para as Forças Armadas e para os políticos (pedágio de apenas 30%). O homem (trabalhador comum) vai, como sempre, 'pagar o pato' "
. José Tiago Monteiro

Facebook


APÓS 'BRINCAR' COM ATAQUE A ESCOLA, JOVEM É DETIDO COM ARMAS FALSAS E FACA EM BH
"Meu Deus! Se continuar assim, voltaremos à época em que os estudantes tinham professores em casa. Só os ricos terão condições de estudar."
. Ana Paula Meireles

"Tem que reforçar a segurança nas escolas públicas do país. Esse caso de Suzano, infelizmente, não vai ser o último."
n Erivaldo Ricardo Silva

ADOLESCENTE SURTA E ESFAQUEIA AVÓ E PRIMO NO BAIRRO CÉU AZUL
"Tá aí o perigo de suspender por conta própria medicações controladas. Para quem tem de fazer uso contínuo, basta esquecer duas doses que os sinais já aparecem e a pessoa surta mesmo, não por querer, mas por fisiologia da patologia tratada."
. Edna Maria Andrade

"Que perigo, ele não estava em tratamento?"
. Carol Machado


Publicidade