Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Vale a pena trocar luxo por qualidade de vida?


postado em 15/03/2019 05:04

 



Muitos brasileiros, depois de ter avaliado com um advogado de imigração devidamente licenciado e ter aplicado e aprovado um visto que permita residir nos Estados Unidos, perguntam sobre alguns dos principais desafios ao se mudar.

Sempre destaco que um dos pontos mais relevantes seria trocar o luxo, ou, talvez, a "mordomia", pela qualidade de vida. Grande parte que  deseja se mudar do Brasil é pela atual situação econômica, por questões de segurança ou a falta de perspectivas sobre o próprio futuro ou dos filhos.

Quando se fala em residir nos Estados Unidos, as pessoas precisam compreender que existe uma significativa diferença no estilo de vida habitual de parte da classe média e alta do Brasil, que se acostumou a viver com algumas "mordomias" sobre as quais eu vou abordar.

Inicialmente, algumas coisas que no Brasil seria possível e acessível nos Estados Unidos trata-se de algo muito incomum, como, por exemplo, ter uma empregada doméstica para auxiliar nas rotinas diárias da casa ou mesmo ter um empregado de um posto de gasolina para abastecer seu carro.

Em todos os aspectos, viver nos Estados Unidos requer sua capacidade e disposição para fazer grande parte ou mesmo todas as atividades diárias de rotina sozinho. Não que seja impossível, por exemplo, contratar uma empregada doméstica, que vai custar em torno de US$ 120 por dia, uma despesa adicional de                 US$ 3 mil por mês.

Segundo, compreenda que a qualidade do atendimento nos Estados Unidos é a mesma para todos, independentemente da classe social. Muitas vezes, no Brasil, existe uma diferença muito grande entre a qualidade e padrão de vida de um garçom para o cliente que ele atende. Já na América, é possível que o garçom que o atende tenha um carro melhor ou viva numa casa melhor ou igual à que o cliente tem, e é ainda muito provável que seus filhos estudem juntos como os filhos dele na mesma escola.

De igual modo, uma empregada doméstica, normalmente, vai poder frequentar os mesmos locais e desfrutar da mesma infraestrutura que sua cliente. Temos de ressaltar que, nos Estados Unidos, é algo realmente necessário, no cotidiano, o autoatendimento, desde lavar seu carro, já que se for no lava-jato vai pagar cerca de US$ 40 para fazer isso por dentro e por fora de seu veículo. As mulheres, por exemplo, para fazer as unhas, devem pagar algo em torno de US$ 40, e assim como os exemplos anteriores, a manicure, muitas vezes, pode morar ou dirigir um carro muito melhor do que o da cliente.

As escolas onde as crianças devem estudar nos Estados Unidos são definidas de acordo com o CEP (zip code) e, por isso, seus filhos precisam conviver, independentemente se você é médico e seu vizinho tem uma profissão mais simples ou menor poder aquisitivo. Eu estudei no Brasil em escolas públicas e, também, particulares, e por esse motivo eu sei que as diferenças são enormes. Portanto, aqui, as crianças, adolescentes e jovens devem se acostumar ao convívio, independentemente do poder aquisitivo de cada família, onde numa mesma escola um aluno vai de bicicleta, outro de ônibus e outro num Porsche.

Resumindo, a mudança envolve, além dos aspectos legais de autorização para residir legalmente nos Estados Unidos, adaptação à nova língua, outra mentalidade, conduta e, principalmente, compreender que embora famílias tenham poder aquisitivo diferentes, isso não significa uma segregação de moradia, estudo, convívio ou ambientes sociais como encontramos no Brasil. Por exemplo, quando se vai a um restaurante popular ou de alto padrão, ou seja, ninguém vai chamar você de "doutor" pela roupa que veste ou pelo carro que dirige.

Nos Estados Unidos, exceto casos isolados, tudo isso é substituído por uma segurança que, mesmo nos lugares mais simples, têm índices muito melhores que os do Brasil. E isso, certamente, alegra o coração de quaisquer pais ou mães de famílias ao saberem que seus filhos estão seguros nos mais diversos ambientes que precisam frequentar. Não apenas isso, mas também saber e ter a garantia de que as leis serão respeitadas na íntegra, o que proporciona a paz e a tranquilidade que se deseja. Adicionalmente, saber que o que define seus rendimentos é sua capacidade profissional, expertise e qualidade de atendimento. Por isso, não é muito incomum ver pessoas que instalam piso com uma remuneração bem superior à remuneração de executivos no Brasil. 


Publicidade