Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 28/10/2018 05:04

DEVER DEMOCRÁTICO
Eleitor ainda tem
esperança sobre o Brasil

Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha - ES
 
"Devido à minha idade é opcional votar, mas faço questão de exercer o meu dever democrático. Apesar dos pesares, ainda não perdi a esperança de um Brasil dos nossos sonhos: próspero, feliz, com honestos detentores do poder priorizando o país, em vez dos seus espúrios proveitos pessoais ou partidários. A classe política, com raríssimas exceções, não é confiável. Antes de deter o poder critica o que está no topo e apregoa honestidade, mas quando chega lá costuma fazer pior do que o seu antecessor. A situação é grave. Quem assumir o poder encontrará terra arrasada e, em sua gestão, pouco poderá melhorar devido à endêmica corrupção, o Congresso contra os interesses nacionais e a onerosa máquina pública que inviabiliza investimentos. Reparar o estrago requer urgentes providências impopulares e tempo para colher os frutos. Nenhum dos dois candidatos à Presidência da República é o candidato ideal, mas,
por exclusão, o PT extrapolou em malfeitos e merece expurgação definitiva da vida pública, enquanto o capitão é uma incógnita ficha limpa, candidato à chance de ser testado no Planalto. Errar é humano, mas persistir mais uma vez no erro é burrice. Daí Bolsonaro ser a opção."


CRUZEIRO
Assinante comenta
desempenho de clube
 
Múcio Batista de Souza
Belo Horizonte

"A recente vitória do Cruzeiro, conquistando pela sexta vez a taça de campeão da Copa do Brasil, não deixou de ser orgulho para todos os mineiros, não importando o clube para o qual o torcedor tenha sua preferência. Os três times de futebol sediados na capital (Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG), todos fundados por volta de um século, atrás, por décadas mantiveram seus estádios em terrenos cedidos pelo poder municipal nos mais adequados logradouros. Lamentavelmente, o 'campo' do América-MG, ali na conhecida região hospitalar, foi cedido para construção de um supermercado em troca de alguns trocados, permitindo-lhe saldar dívidas do então mal administrado clube futebolístico. A mesma necessidade teve o CAM, cedendo seu campo, no bairro de Lourdes, para construção de um 'shopping'. O Cruzeiro Esporte Clube mantém seu 'estádio', no bairro Barro Preto. Entretanto, os clubes Atlético-MG e Cruzeiro construíram, em espaços mais amplos, sedes campestres com mais de um campo para treinamento, além de sedes confortáveis para acolher seus atletas com todos os recursos exigidos para os exercícios recomendados pelos especialistas em educação física. Apenas um detalhe: o Cruzeiro continuou em Belo Horizonte, o Atlético-MG, por falta de espaçoso terreno, se deslocou para o belo município de Vespasiano, na Grande BH. Mas, na qualidade de 'sete-setembrino', como sou torcedor do Sete de Setembro desde sempre, a principal finalidade dessas rápidas considerações é para lembrar que todos os clubes futebolísticos citados se beneficiaram do campo do Sete, como sempre foi conhecido o Estádio Independência. O América-MG tem lá sua faixa de decacampeão e o Atlético-MG, por seus torcedores, criou o ditado: 'caiu no Horto, tá morto'. Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube."


ATLÉTICO-MG
Torcedor dá boas vindas
ao novo treinador
 
Tarcísio P. Ferreira
Belo Horizonte

"Dias atrás, escrevi que o Luan tentava dois passes pra frente e conseguia recuar oito vezes em 10. No jogo contra o Fluminense, ele afinal conseguiu acertar um recuo de bola, mas nos pés do atacante adversário, dando origem ao único gol da derrota do Atlético-MG! Falei, também, sobre as deficiências das trocas de passes. Esse time medíocre, que as duas últimas administrações deixaram, não consegue dar passes certos de distâncias de três a quatro metros. No entanto, abusaram dos passes em profundidade, que estão sempre a pelo menos três metros da capacidade de alcance do atacante visado. O Jaeci, esse gabaritado cronista esportivo do jornal Estado de Minas, tem afirmado que dentro da atual mediocridade do futebol brasileiro, o Atlético-MG poderá, perfeitamente, se classificar entre os quatro primeiros colocados do Brasileirão e participar da disputa da Copa Libertadores do próximo ano. Nesse embalo, para viabilizar o sonho, tenho um conselho a dar ao Levir, que acho um bom técnico e que acredito ser atleticano: esqueça dos treinos de quaisquer outros fundamentos do futebol. Dedique-se, sempre, a determinar que os jogadores treinem, por horas a fio, até a exaustão, passes curtos, de média distância e em profundidade. Posso garantir, pela minha experiência de apreciador e observador do futebol há mais de sete décadas, que o objetivo da classificação será alcançado. E se tiver um tempinho, determine que os laterais sejam cobrados para o companheiro mais próximo, porque aqueles 'esticões' costumeiros são sempre rebatidos pela defesa adversária. E tome contra-ataque. No mais, boa sorte Levir."


Publicidade