Publicidade

Estado de Minas

Empresária de Curitiba sugere identificar pessoas em isolamento social

Em vídeo, Cristiane Deyse Oppitz criticou as pessoas que estão seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e virou assunto na internet


postado em 21/04/2020 13:20

Empresária criticou aqueles que estão em isolamento social. (foto: Twitter/Reprodução)
Empresária criticou aqueles que estão em isolamento social. (foto: Twitter/Reprodução)
 

Na manhã desta terça-feira (21), a empresária Cristiane Deyse Oppitz, de Curitiba, virou assunto nas redes sociais após um vídeo seu vir à tona, no qual ela sugere identificar com ''fita vermelha'' as pessoas que estão em isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus - recomendação dada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

 

''As pessoas que não querem sair do confinamento, que não querem trabalhar, fazer a economia girar porque, segundo elas, o mais importante é a vida, marquem ou com um laço vermelho na porta ou quando for sair coloque uma fita vermelha. Aí nós vamos identificar você como pessoa que não quer fazer parte deste grupo que quer trabalhar'', diz a socialite no vídeo postado nas redes sociais em 23 de março.

 

Para ela, a identificação pode servir para identificar aqueles que não querem trabalhar e ''não estão contribuindo'' para que, caso precisem, não sejam ''assistidos em momento algum''.

 

''Você não vai ter médico, você não ter farmácia, supermercado, o porteiro também não vai poder lhe atender por causa da marca na sua porta. Você vai ficar em isolamento total. Até que passe esse grande vírus. Assim, toda a alimentação produzida vai para as pessoas que estão contribuindo e não para as pessoas que não querem contribuir'', afirma.

 

 

 

Pelas redes sociais, uma série de pessoas criticaram a postura da empresária, associando a sugestão a ação feita por Adolf Hitler na Alemanha Nazista, que insistia no uso da estrela de Davi para identificar os cidadãos judeus.

 

Após a repercussão do caso, o restaurante associado a ela, Verd&co, usou as redes sociais para esclarecer que tem respeitado as medidas adotadas para a contenção da Covid-19. ''Informamos também que Deyse Oppitz, por divergências administrativas, não faz mais parte da gestão da empresa há quase um ano (faz e fará parte do quadro societário minoritário, até que a empresa termine de pagar pela compra de suas cotas).''


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade