Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Idoso com coronavírus tem velório comum no interior de SP

Nas redes sociais, população de Cruzeiro e Limeira registrou preocupação com contágio da doença


postado em 18/04/2020 15:40

Funerária Santa Clara divulgou nota sobre o ocorrido(foto: Google Street View/Reprodução)
Funerária Santa Clara divulgou nota sobre o ocorrido (foto: Google Street View/Reprodução)

Um idoso de 85 anos morreu com a COVID-19 e teve o velório comum em Cruzeiro (SP) no último dia 16. A funerária responsável pelo velório afirma que a declaração de óbito não constava anotações de suspeita ou confirmação da doença. Ainda segundo a funerária, nem os familiares haviam sido informados pelo hospital em que ele estava internado.

Após a confirmação da doença, a população ficou preocupada com a possibilidade de ter ocorrido contágio do novo coronavírus durante o velório. Pelas redes sociais, internautas chegaram a relatar que havia cerca de 700 pessoas da despedida pois o homem era famoso em Lavrinhas (SP).

A Funerária Santa Clara emitiu uma nota informando que o idoso faleceu na Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro, que está sob intervenção da prefeitura. Ao averiguar a certidão de óbito, não portava nenhuma notificação da Santa Casa.

“Os agentes funerários foram encaminhados para o necrotério, da Santa Casa e lá encontraram o falecido no necrotério comum, sem lacres, sem notificação de risco e sem separação de outro falecido. Prosseguiram o serviço, preparam o corpo, colocaram na urna e levaram para o velório em ato normal”, afirma o texto.

De acordo com a funerária, o velório ocorreu aos familiares e amigos que compareceram no local desde às 16h30. A empresa sustenta que todos utilizavam máscara e obedeceram o limite de 10 pessoas no ambiente em que o falecido estava. “Os demais parentes se espalharam pela calçada, pelo estacionamento e pela rua, obedecendo o distanciamento exigido pela Anvisa.”

A Santa Clara afirma que, por volta das 19h50, a funerária recebeu uma ligação da pessoa responsável da vigilância sanitária de Cruzeiro, questionando o porquê do velório pois o idoso era suspeito de coronavírus

“Após a informação, por telefone, os representantes da Santa Clara, se dirigiram ao encontro dos familiares e solicitaram a presença no velório da responsável da vigilância, a qual se recusou a comparecer no local. Assim, houve uma nova tentativa pedindo a presença de um responsável da Santa Casa ou da secretaria de saúde do município para comunicar oficialmente a família e fazer a correção da declaração de óbito, visto que esta vigilância portava informações divergentes ao laudo médico entregue para a família”, explica a nota.

A funerária argumenta que funcionários ficaram no local com os familiares até 23h e como nenhum responsável da prefeitura, da Santa Casa, e vigilância sanitária comparecerem ao velório para retificar o laudo médico, a empresa chamou a polícia e registrou um boletim de ocorrência.

De acordo com a Santa Clara, o velório transcorreu durante a noite e homem foi sepultado às 9h do dia 17 em ato normal. “Por volta de 14h07, do dia 17/04/2020 a empresa Santa Clara foi oficialmente notificada pelo secretário de Saúde que o paciente testava positivo para a COVID-19, após 24 horas do seu falecimento, sendo que já tinha sido transcorrido o velório e o sepultamento”, acrescenta a funerária.

A reportagem do Estado de Minas entrou em contato com o hospital que informou que o setor responsável só atenderia na segunda-feira.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade