Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Governo de Minas considera centenas de casos suspeitos

Com disseminação rápida do vírus, Secretaria de Saúde prevê aumento de registros para análise de contágio. Decreto emergencial é cogitado como facilitador de acesso a remédios


postado em 28/02/2020 04:00 / atualizado em 27/02/2020 23:21

Aumento de suspeitqs virá em breve, segundo o secretário da Saúde, Eduardo Amaral (C), que pepara decreto de emergência em Minas (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Aumento de suspeitqs virá em breve, segundo o secretário da Saúde, Eduardo Amaral (C), que pepara decreto de emergência em Minas (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

O aumento no número de casos de contaminações pelo coronavírus em países da Europa acendeu o alerta vermelho para autoridades da saúde em Minas Gerais, que já trabalham com a possibilidade de uma “inundação” de casos suspeitos no estado. O governo de Minas pretende publicar decreto de emergência nos próximos dias.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral Pereira, em entrevista na tarde de ontem, com casos anteriormente restritos à China e alguns países asiáticos o controle era mais fácil devido ao pouco número de voos diretos para o Brasil. Com contaminações em países na Europa – que tem maior quantidade de rotas – é esperado um aumento significativo de casos suspeitos em Minas.

“Depois da inclusão dos países europeus (entre os que confirmaram casos do coronavírus), temos um fluxo muito grande de pessoas entre esses países e o Brasil. Consequentemente, é de se esperar que teremos uma notificação muito intensa de pessoas com síndrome gripal vindas da Europa, principalmente Itália, Alemanha a França. Com isso, esperamos que haja um aumento grande de notificações”, explica o secretário Carlos Eduardo Amaral.

O secretário afirmou que até ontem Minas registrou cinco casos com suspeita de infecção pelo coronavírus, mas não deu detalhes sobre as pessoas afetadas e as suas condições. Três foram registrados em Belo Horizonte, um em Montes Claros, no Norte do estado, e um em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira.“Em Minas, não temos casos confirmados do coronavírus. Temos cinco casos suspeitos identificados pelo Ministério da Saúde e outros casos notificados que ainda não são classificados como suspeitos”, afirmou Eduardo Amaral.

Para o subsecretário de Vigilância em Saúde, Dario Brock Ramalho, a disseminação de casos em países europeus faz com que a forma como as autoridades da saúde no Brasil atuem com o combate ao vírus. “Até o momento os casos eram restritos à China, com o fato acontecendo em países mais próximos, esperamos centenas de casos suspeitos. A gente vai assistir um aumento de casos suspeitos em breve. Não só em Minas, mas no Brasil inteiro”, analisa Ramalho.

Apesar de considerar o estado preparado para acompanhar os casos suspeitos, a secretaria espera publicar nos próximos um decreto de emergência. A medida pretende facilitar a compra de medicamentos e materiais usados no combate a disseminação do vírus.“Estamos analisando a elaboração deste decreto com objetivo de acelerar as medidas necessárias, como compra de medicamentos, materiais e leitos”, diz o Carlos Eduardo Amaral.

Segundo ele, para considerar o caso como suspeito, o ministério avalia se houve alguma relação da pessoa com algum país em que há transmissão do vírus e se há sintomas respiratórios e febris. “Estamos aumentando consideravelmente o nível das notificações, hoje temos dezenas de notificações para pessoas que vieram de países europeus. Quando um hospital tem a suspeita de que algum caso é suspeito do coronavírus, ele entra em contato com a secretaria estadual e recebe as orientações para dar sequência. Havendo a suspeita, a orientação é que seja comunicado ao ministério da Saúde”, disse Carlos Eduardo.

Para as pessoas notificadas, a secretaria orienta o isolamento respiratório (para que não tenham contato com outras pessoas) e são feitas coletas de amostras que são analisadas pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) ou pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para analisar se há presença do corona. A recomendação é que o isolamento, que pode ser feito em casa, dure por 14 dias, até que os resultados dos exames sejam confirmados.

“Estamos publicando uma resolução com uma força tarefa com objetivo de manter um trabalho organizado e vamos publicar o decreto de emergência em saúde pública, que está sendo analisado pelo setor jurídico. A intenção é estar preparado para a possibilidade da chegada do vírus em maior escala”, afirmou o secretário. A pasta também prepara um processo de compra de equipamentos de proteção individual, como máscaras de rosto, para distribuir em caso de necessidade.

ALERTA EM MINAS


Belo Horizonte
Ontem, a Secretaria de Estado de Saúde confirmou, ao todo, três casos suspeitos de contaminação na capital. Dois deles se tratam de mulheres que viajaram a países da Ásia e apresentaram sintomas de infecção pelo novo coronavírus neste mês. Uma delas está internada no Hospital Júlia Kubitscheck e a outra é acompanhada em hospital particular não informado

Lavras
O caso anunciado pelo município como de suspeita de infecção é o de uma mulher que viajou para a Tailândia, desembarcou em São Paulo e seguiu de carro para a cidade do Sul de Minas. Ela apresentou sintomas leves de gripe e até ontem permanecia em quarentena em casa. Não consta do balanço da Secretaria de Saúde

Montes Claros
Surgiram no município do Norte do estado informações sobre dois casos de suspeita de contaminação de pessoas que viajaram à Itália e retornaram ao Brasil neste mês, mas só um deles foi confirmado pela Secretaria de Saúde

Varginha
A prefeitura do município do Sul de Minas divulgou a suspeita de contaminação de três pessoas da mesma família, após viagem à Itália. Eles estão no hospital da vizinha Pouso Alegre. Os casos não foram confirmados pela Secretaria de Saúde

Juiz de Fora
A suspeita de infecção de uma mulher que chegou da Itália e apresentou sintomas em casa, na cidade da Zona da Mata, foi confirmada ontem pelo governo estadual. Ela foi internada no Hospital João Penido

Uberlândia
No município do Triângulo Mineiro, há suspeita de contaminação de uma mulher que esteve na Itália e retornou neste mês. Ela foi atendida no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, com sintomas da doença. O caso não consta do balanço da Secretaria de Saúde

(foto: Marcus Vieira/EM/D.A Press)
(foto: Marcus Vieira/EM/D.A Press)


Temor no aeroporto

O medo diante da explosão de casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil chegou ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os primeiros passageiros com máscaras respiratórias já são vistos no local. É o caso do casal de gaúchos – o psicólogo Gustavo Triaca, de 27 anos, e a representante de vendas Josiane Kluak, de 41 – que veio a Minas Gerais para passar o carnaval em Ouro Preto. “Hoje, ainda em Ouro Preto, ficamos sabendo que já são 132 casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil. São cinco ameaças em Minas. Mas, está pior no Rio Grande do Sul, que tem 24 casos suspeitos” diz Gustavo. “Antes de vir para BH e Confins, decidimos nos proteger. Saímos e compramos as máscaras antes de deixar o hotel. A contaminação pode acontecer em qualquer lugar, ônibus, aeroporto, avião etc.”, fala Josiane.
 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade