Publicidade

Estado de Minas

Guedes diz que pobreza é inimiga do meio ambiente


postado em 22/01/2020 04:00 / atualizado em 21/01/2020 21:06

Davos – O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, na manhã de ontem, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), que o grande inimigo do meio ambiente é a pobreza. "Destroem porque estão com fome", justificou o brasileiro. “O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza. As pessoas destroem o meio ambiente porque precisam comer. Eles (pessoas pobres) têm todas as preocupações que não são as preocupações das pessoas que já destruíram suas florestas, que já lutaram suas minorias étnicas, essas coisas... É um problema muito complexo, não há uma solução simples”, declarou Guedes.

O ministro também afirmou que "todos precisamos de mais alimentos", mas que, dependendo dos produtos químicos necessários para produzir mais alimentos, "você não tem um meio ambiente limpo". Ainda sobre o tema, Guedes disse que a busca dos humanos é sempre pela criação de vidas melhores. Ele ressaltou, porém, que "somos animais que escapamos da natureza".

Em novembro, ao comentar os dados sobre queimadas na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o desmatamento é uma questão "cultural" no país, e que por isso não é possível acabar com ele.

''As pessoas destroem o meio ambiente porque precisam comer. Eles (pessoas pobres) têm todas as preocupações que não são as preocupações das pessoas que já destruíram suas florestas, que já lutaram suas minorias étnicas, essas coisas... É um problema muito complexo, não há uma solução simples''

Paulo Guedes, ministro da Economia, em discurso no Fórum Econômico Mundial


Ainda segundo Guedes, o "primeiro nível" de preocupações no Brasil é remover o ambiente hostil para negócios em geral, "receber e recolocar todo esse conhecimento já disponível em todo o mundo" sobre inovação na indústria. "Em um país como o Brasil, estamos um pouco para trás. Para não dizer muito para trás", afirmou. "O povo quer ter as indústrias e os empregos. E ao mesmo tempo há uma pressão enorme para manter 'verde'. É um equilíbrio delicado, mas estou certo de que vamos conseguir", concluiu.

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede) criticou as declarações de Guedes. Para ela, são políticas públicas do governo Bolsonaro, como a regularização de áreas griladas, que incentivam o desmatamento na Amazônia. “O que gera maior critica o maior desmatamento e crime ambiental são os governos”, disse Marina, em entrevista à Folha de S.Paulo. “Eles desmontam a governança ambiental, apoiam formas predatórias de uso da floresta e dos recursos naturais, negam o problema das mudanças climáticas, cortam o orçamento do Ministério do Ambiente e ainda têm a falta de noção de dizer que o maior inimigo são os pobres.”

Luiza Lima, da campanha de Políticas Públicas da ONG Greenpeace, a fala do governo brasileiro "mais uma vez gera constrangimento e piora a situação da imagem do país." "A fala dele está cheia de equívocos e de imoralidade. Em vez de colocar a pobreza como o pior inimigo do meio ambiente, digo que o maior inimigo dos pobres é a destruição do meio ambiente", disse. Para Luiza, pobres não são responsáveis, são vítimas. “Eles sofrem mais os impactos da destruição dos rios, das florestas e dos ecossistemas. São eles os mais vulneráveis a furacões, tornados, enchentes e secas, que aumentam (com a destruição do meio ambiente).”
 




Publicidade