Publicidade

Estado de Minas

Homem diz que foi obrigado por assaltantes a tomar 2 litros de cachaça em Minas

O caso ocorreu na cidade de Frutal, no Triângulo Mineiro. A vítima alega que os suspeitos o ameaçaram para que ingerisse a grande quantidade de cachaça


postado em 15/01/2020 14:36 / atualizado em 15/01/2020 14:45

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Cachaça, marvada, caninha, pinga, aguardente, água que passarinho não bebe... A bebida queridinha do Brasil foi o centro de um crime registrado no interior de Minas Gerais nessa segunda-feira. Em Frutal, cidade do Triângulo Mineiro com cerca de 59 mil habitantes, um homem de 33 anos alega que foi obrigado, durante um assalto, a beber dois litros de cachaça, sob ameaças.

O rapaz, que é natural de Barretos (SP), registrou boletim de ocorrência na sede da 4ª Companhia de Polícia Militar da cidade mineira. Bêbado, ele disse aos militares que foi vítima do roubo quando circulava de moto por uma estrada nos arredores do município.

Segundo ele, cinco homens armados com revólveres de cor prata e espingarda o interpelaram e o obrigaram a consumir a bebida, que tem em média de 38% a 48% de teor alcóolico. Além disso, eles levaram a moto, um celular, uma carteira de couro e R$ 970.

Os cinco suspeitos, contou o homem, estavam em um Fiat Uno branco, de modelo antigo. A vítima afirma que, depois do crime, seguiu, mesmo bêbado, a pé para a delegacia, onde registrou o caso. O trajeto tem cerca de 10 km.

Em segundo relato, o homem diminui a quantidade de assaltantes para quatro e afirmou que eles cobriam o rosto com um pano branco.

Crime bárbaro
Em agosto do ano passado, a mesma cidade mineira virou notícia nacional por causa de um crime bárbaro. Um homem de 23 anos matou um colega de trabalho, de 45, decapitou a vítima e caminhou pelas ruas de Frutal com a cabeça nas mãos.

Após o crime, ele tentou se matar, mas foi impedido e detido pela Polícia Militar. Os dois trabalhavam em um matadouro da cidade. O crime teria sido motivado por uma discussão em uma festa em que os colegas de trabalho estavam.


Publicidade