Publicidade

Estado de Minas

ANS autoriza aumento de até 7,35% em planos de saúde individuais e familiares

O percentual divulgado pela agência é o máximo que pode ser aplicado pelas operadoras que ficam aptas a cobrar taxas mais baixas


postado em 23/07/2019 17:01 / atualizado em 23/07/2019 18:05

(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autorizou nesta terça-feira, 23, o reajuste do valor para planos de saúde. De acordo com a publicação, fica estabelecido o índice máximo de 7,35% a ser aplicado nos valores das mensalidades dos planos de saúde individuais ou familiares com aniversário no período de maio de 2019 a abril de 2020. A decisão será publicado no Diário Oficial da União em 24/07.

 

Segundo a nota enviada pela ANS, para chegar a esse percentual a agência utilizou, pela primeira vez, uma metodologia de cálculo que combina a variação das despesas assistenciais com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - retirando-se deste último o item Plano de Saúde que, de acordo com a ANS "transfere a eficiência média das operadoras para os beneficiários, resultando na redução do índice de reajuste. A base de dados utilizada é pública e auditada, conferindo, assim, maior transparência e previsibilidade."

 

O percentual divulgado pela ANS é o máximo que pode ser aplicado pelas operadoras que ficam aptas a cobrar taxas mais baixas. O reajuste é válido para os planos de saúde individuais ou familiares médico-hospitalares contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98 e contempla cerca de 17% do total de beneficiários em planos de assistência médica, ou seja, aproximadamente 8 milhões de usuários, de acordo com dados referentes a maio de 2019.

 

Ainda de acordo com a ANS, o beneficiário deve ficar atento se o percentual de reajuste aplicado é igual ou inferior ao definido pela agência e se a cobrança com o índice de reajuste está sendo feita a partir do mês de aniversário do contrato, que é o mês em que o contrato foi firmado. 

 

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade