Publicidade

Estado de Minas GERAL

Partes do Rio ainda estavam alagadas nesta quarta-feira


postado em 11/04/2019 10:53

O Jardim Maravilha, um bairro simples em Guaratiba, na zona oeste do Rio, foi um dos mais atingidos pela tempestade da última segunda-feira, 8. Dois dias depois do temporal, o local seguia completamente alagado, com muitos moradores ilhados.

"Muitas áreas do bairro ainda estão inundadas, sem acesso a veículos comuns", contou o pastor Neiriston da Silva Velez, da Igreja Batista local. O templo serve de base para doações e ajuda aos desabrigados. "Conseguimos um carro 4x4 com um vizinho e estamos indo até as pessoas que estão ilhadas, levando água e alimentos", disse.

Barcos também estão sendo usados para socorrer moradores isolados pelas águas. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), esteve na manhã desta quarta-feira, 10, no local e anunciou algumas medidas para mitigar a situação.

"A situação aqui é decorrente das chuvas, inundaram o rio, que transbordou. Também pelo lençol freático, é muita água aqui nessa região", justificou o prefeito. Ele subiu numa retroescavadeira para chegar aos pontos mais críticos do alagamento. "Hoje (ontem, quarta) vamos começar com duas máquinas grandes a fazer a dragagem do canal. A tendência é que as águas do canal desemboquem no mar, agora com as chuvas baixando."

Equipes da Rio-Águas, da Comlurb, da Conservação e de Infraestrutura e Obras foram ao local para executar serviços de dragagem do Rio Cabuçu-Piraquê, desentupimento de bueiros, limpeza e secagem de pistas. Técnicos da Secretaria de Assistência Social distribuíram cerca de 240 cestas básicas aos moradores que mais sofreram com a enchente.

A chuva continuava caindo de forma intermitente no município na noite desta quarta, embora bem mais fraca. Mesmo assim, vários pontos importantes da cidade seguem alagados.

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura, nove vias importantes nas zona sul e oeste ainda estavam nesta quarta-feira interditadas por causa dos efeitos da tempestade: bolsões de água, queda de árvores e áreas com risco de deslizamento. Alguns bairros da zona oeste, como o Jardim Maravilha, seguem completamente alagados.

Calamidade pública

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decretou estado de calamidade pública na cidade em razão das fortes chuvas que atingiram a região e provocaram a morte de dez pessoas. A informação foi publicada no Diário Oficial do município desta quinta-feira, 11.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade