Publicidade

Estado de Minas GERAL

MPF planeja acusar criminalmente Vale e funcionários por desastre de Brumadinho


postado em 10/04/2019 18:23

O coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal para apurar o desastre de Brumadinho, José Adércio Leite Sampaio, afirmou em entrevista ao Wall Street Journal que a promotoria planeja apresentar acusações criminais contra a Vale e funcionários da mineradora no caso. Sampaio disse que os investigadores conseguiram evidências suficientes para afirmar que funcionários da Vale envolvidos diretamente na operação da mina sabiam que a barragem no local era insegura. Não está estabelecido, contudo, se o comando da empresa também sabia, disse ele na entrevista.

O procurador não citou nomes, na conversa com o jornal americano. A tragédia de Brumadinho deixou cerca de 300 mortos, quando a barragem se rompeu. O WSJ aponta que esse foi o mais mortífero desastre desse tipo no setor de mineração em mais de 50 anos.

"Neste ponto, nós sabemos que o lado operacional sabia que a barragem corria o risco de ruptura, mas os diretores da Vale sabiam?", questionou Sampaio na entrevista. As acusações relacionadas ao desastre podem incluir homicídio e danos ambientais, entre outros, lembra o jornal. Ao longo dos próximos dois ou três meses, os promotores esperam determinar se graduados funcionários da Vale, sediados no escritório regional e também na sede, no Rio de Janeiro, sabiam que a barragem corria o risco de colapso, disse ele.

Promotores preparam ainda uma possível acusação criminal por falsidade ideológica contra os funcionários da TÜV SÜD, a companhia de inspeção alemã que certificou a barragem da Vale como segura quatro meses antes de sua ruptura. Sampaio disse na entrevista ao WSJ que funcionários da Vale também podem ser acusados pelo mesmo crime.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade