Publicidade

Estado de Minas GERAL

Blocos arrastam 140 mil foliões no sábado de pré-carnaval no Rio


postado em 23/02/2019 20:43

A uma semana do carnaval, 140 mil foliões brincaram em 59 blocos pelas ruas do Rio neste sábado, informou no início da noite a Riotur, órgão municipal de promoção do turismo. O dia foi de sol e calor e a festa começou de manhã cedo. O principal desfile, do tradicional Simpatia é Quase Amor, arrastou uma multidão pela orla de Ipanema, à tarde.

Eram por volta de 7 horas quando o bloco Céu na Terra já concentrava foliões em Santa Teresa, bairro da região central. Reconhecido pelas fantasias criativas, coloridas, que remetem à cultura popular, o 'Céu na Terra' completou seu 18o aniversário com mensagens de protesto e com bonecos e cartazes que homenageiam a vereadora assassinada Marielle Franco. O debate sobre a questão de gênero está no tema da festa: "Fé menina e fé menino".

"Moro aqui (em Santa Teresa) há 15 anos. Então todo ano estou aqui (no bloco). Hoje estou de girassol. Gosto porque tem marchinha, vem gente de perna de pau, de boneco de Olinda. E os músicos são todos de Santa Teresa mesmo", contou Diana Ferreira.

Já os namorados Joaquim Freire e Andressa Duarte iniciaram o pré-carnaval às 22 horas de sexta-feira e, no início da tarde deste sábado, disseram não ter intenção de parar. "A gente não sabe para onde vai. A galera vai descer e a gente vai junto. Por enquanto, estamos parados recuperando energia", disse ela.

No centro histórico, na Praça XV, o bloco Truque do Desejo atraiu, a partir das 10h, admiradores de grupos de pagode dos anos 1990. Ao contrário do Céu na Terra, esse é um cortejo pequeno e criado recentemente, há cinco anos, por um grupo de foliões que, em 2012, sem achar o bloco que procuravam, optaram por criar o seu próprio.

"O bloco surgiu com um grupo de amigos que saiu com seus instrumentos para curtir o carnaval. Agora estamos com o projeto de fazer a 'Roda do Truque', para tocar o ano inteiro. A gente prioriza o pagode dos anos 90, mas tem também os dos anos 2000. Hoje em dia, tem muito pagode bom. Neste ano, lançamos nossa primeira música autoral", contou Vicente Saraiva, produtor do Truque do Desejo.

Ele criticou o governo que, em sua opinião, dificultou a realização da festa. "Teve uma mudança no decreto que restringiu a liberdade do carnaval de rua. Nós temos a estrutura das casas do Arcos do Telles (bares da Praça XV), mas há uma grande quantidade de blocos que estão sendo cancelados e impedidos de sair", protestou.
O decreto mencionado pelo produtor foi publicado no início de janeiro pela Riotur e traz uma série de exigência aos blocos com o argumento de que assim vai tornar o carnaval mais seguro. Com a mudança de regras, os blocos, mesmo os menores, passam a ser obrigados, por exemplo, a contar com infraestrutura médica, como UTIs e postos de saúde, e a pagar direitos autorais.

No início da noite, a Riotur também divulgou um balanço de ocorrências ao longo do dia. Foram rebocados 34 veículos por estacionamento irregular em áreas de passagem de blocos. A Comlurb, estatal municipal de limpeza urbana, recolheu 43,7 toneladas de lixo e multou 109 foliões por jogar dejetos na rua - a operação de limpeza contou com 900 garis e 129 agentes, informou a prefeitura.

Além disso, a Coordenadoria de Controle Urbano, vinculada a Secretaria Municipal de Fazenda, fez operações para coibir camelôs e blocos não autorizados. Segundo a Riotur, as ações resultaram na apreensão de 317 itens como "garrafas de vidro de bebidas diversas, colares, carrinhos, um botijão de gás, além de 10 quilos de alimentos perecíveis e 12 sacos de gelo".


Publicidade