Publicidade

Estado de Minas GERAL

Vale informa medidas para conter rejeitos de barragem em Brumadinho


postado em 19/02/2019 19:26

A Vale informou nesta terça-feira, que estão em andamento as iniciativas para conter os rejeitos da barragem I da Mina de Córrego do Feijão, que rompeu dia 25 de janeiro. As ações foram acordadas com a secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), em 8 de fevereiro. Parte delas também consta das exigências apresentadas pela Procuradoria Geral do Estado e pelo Ministério Público de Minas Gerais no Termo de Compromisso Preliminar que está em negociação com a companhia.

Em nota, a Vale afirma que está realizando a limpeza do trecho 1, que vai da barragem até o Rio Paraopeba, onde será implantado um dique para retenção dos rejeitos mais grossos e pesados. Nesse trecho, também estão sendo retirados os rejeitos que bloquearam um trecho da Avenida Alberto Flores, que liga as localidades de Córrego do Feijão e Parque da Cachoeira, as duas mais atingidas.

Nessa área, será construída uma ponte metálica para garantir que os moradores tenham acesso mais rápido ao centro de Brumadinho e à Belo Horizonte. Com o rompimento da barragem, a viagem, que leva cerca de 20 minutos, passou a ser feita em cerca de 50 minutos, e a mineradora foi obrigada a colocar uma linha ônibus passando por dentro de sua unidade para reduzir o transtorno dos moradores.

A empresa também informou que está analisando medidas para melhorar a qualidade da água que deságua no rio Paraopebas vinda do córrego Ferro Carvão, o mais atingido pela lama. Entre essas medidas estaria a instalação de uma Estação de Tratamento de Água (ETA).

De acordo com a companhia, o monitoramento da água do Paraopebas indica que cinco barreiras (membranas) antiturbidez instaladas alcançam uma redução de 10% a 15% da turbidez da água do rio, afetado pela lama da barragem.


Publicidade