Publicidade

Estado de Minas

Hamburgueria cria lanche 'Maria da Penha' e é criticada

Após a repercussão negativa, nome teria sido alterado para 'Censurado'


postado em 27/11/2018 10:04 / atualizado em 27/11/2018 13:07

(foto: (foto: Reprodução/Facebook))
(foto: (foto: Reprodução/Facebook))

Uma hamburgueria da cidade de Salto (SP) — localizada a cerca de 100km da capital paulista — causou polêmica nas redes sociais ao batizar um sanduíche com o nome de Maria da Penha. A escolha teria sido feita para sustentar um trocadilho entre repolho roxo — um dos ingredientes do sanduíche — e olho roxo. 


Reinaugurada no último dia 14, a Kau Hamburgueria revelou o nome do sanduíche por meio das redes sociais. Desde então, o estabelecimento tem recebido diversos comentários de internautas revoltados. "Vocês não têm vergonha na cara? Promover a violência contra a mulher e ainda capitalizar isso?", comentou uma usuária. "Acabaram de lançar um novo hambúrguer, o BOIcote, eu adorei, recomendo", ironizou outro.
 
(foto: (foto: Reprodução))
(foto: (foto: Reprodução))

Após a repercussão negativa, a hamburgueria teria mudado o nome do sanduíche. De acordo com relatos de internautas, a primeira alteração foi para "Censurado". Atualmente, o hambúrguer está no cardápio da lanchonete com o nome de "Um lanche com repolho".

Dono do estabelecimento, André Buzzo publicou uma nota nas redes sociais (que, atualmente, estão com as publicações privadas), dizendo ter "repensado" o nome do sanduíche, mas questionando a enxurrada de comentários negativos: "Tiramos a página da Kau e o perfil do Instagram do ar, devido a ataques virtuais — para mim, é quase um vírus, onde o que importa é o engajamento e não a solução dada — que pensam que os meios justificam seus fins. Me cobram respeito e o que menos demonstram é o requerido". A reportagem tentou entrar em contato com a lanchonete por meio dos telefones disponíveis no site e na página do Facebook. Porém, não obteve retorno até a última atualização.
 

Agredida pelo marido, a farmacêutica cearense Maria da Penha se tornou um ícone da luta de defesa da mulher. Seu nome, inclusive, foi usado na lei, sancionada em 2006, que combate e pune a violência contra as mulheres.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade