Publicidade

Estado de Minas GERAL

Evento discute, em SP, cuidados paliativos em doentes terminais


postado em 23/10/2018 10:20

Um espaço para falar sobre a qualidade de vida, o sofrimento e a situação dos pacientes em fase terminal. O Hospital Santa Paula realiza nesta terça-feira, 23, um encontro gratuito com médicas paliativistas e um consultor de Desenvolvimento Humano para tirar dúvidas sobre o assunto. O evento acontece no Instituto Tomie Ohtake, na zona oeste da capital paulista.

Quem quiser participar, antes de chegar ao local, deve fazer inscrição prévia no site. A ação é uma homenagem ao Dia Mundial de Cuidados Paliativos. A palestra abordará três pontos de vista: o paciente em fase terminal, o paciente em sofrimento, mas sem risco de morte, e o ambiente familiar.

O conceito de cuidados paliativos está sendo ampliado ao longo dos anos. Antes, o tratamento era entendido apenas como um acompanhamento quando o paciente não tinha alternativa de cura. Agora, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o monitoramento das necessidades do paciente e o acolhimento à família devem ser feitos a partir do diagnóstico como parte de uma necessidade humanitária urgente para pessoas com doenças graves.

Infelizmente, no País, essas terapias ainda são realidade para poucos. Segundo um estudo da Academia Nacional de Cuidados Paliativos, há só 177 equipes especializadas nos mais de dois mil hospitais brasileiros com mais de 50 leitos.

A médica paliativista Ana Claudia Quintana Arantes, geriatra e gerontóloga, estará presente. Autora do livro "A morte é um dia que vale a pena viver", ela foi responsável pela elaboração e implementação das políticas assistenciais em cuidados paliativos e terapia da dor no Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, em 2006.

Muitas famílias não sabem lidar com a situação. É muito difícil acompanhar um ente querido à beira da morte. E sob o ponto de vista familiar, o consultor Tom Almeida falará de sua experiência com conversas sinceras, escuta verdadeira e sem julgamento para auxiliar o primo dele a morrer. Após o caso, Tom criou o Cineclube da Morte, com filmes que tratam dessa temática.

A médica Milena Reis, responsável pela área de Cuidados Paliativos no Hospital Santa Paula, falará sobre o alívio da dor e sofrimento nas diferentes fases de doenças e dos tratamentos.

Programação

14h: Boas vindas e palavras do Hospital Santa Paula

14h10: Cuidados Paliativos: muito antes e além dos cuidados de fim de vida, com Dra. Milena Reis.

14h40: Onde tudo começou, com Tom Almeida, fundador do movimento inFINITO e do projeto Cineclube da Morte.do projeto Cineclube da Morte.

15h: A morte é um dia que vale a pena, com Ana Claudia Quintana Arantes, médica paliativista referência no setor.

Endereço:

Local: Rooftop 5 (prédio do Instituto Tomie Ohtake). Rua Coropé, 88, Pinheiros, São Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade