Publicidade

Estado de Minas GERAL

Brasileiro dará testemunho em evento nos EUA sobre mudança climática


postado em 25/09/2018 12:24

A 2ª edição do "One Planet Summit" vai ocorrer nesta quarta-feira (26) em Nova York, nos Estados Unidos. O encontro confirmará o engajamento dos agentes públicos e privados com as questões climáticas, bem como sua capacidade de traduzir seus compromissos em ações locais por meio de colaboração e iniciativas específicas.

Durante a conferência, o brasileiro Leontino Balbo Jr., vice-presidente executivo da Native, vai dar um testemunho a respeito da capacidade de escala do modelo de produção brasileiro da Native - que é de muito baixo carbono e a favor da biodiversidade ("Biodiversity Friendly"). Balbo afirmou em comunicado que "participar de tão prestigioso evento é uma forma de reconhecimento muito importante acerca dos enormes resultados produzidos pelo sistema de produção empreendido na Native".

O "One Planet Summit" reuniu em sua primeira edição, em dezembro do ano passado, em Paris, cerca de 4 mil participantes com o objetivo de acelerar o cumprimento do Acordo de Paris e envolver os agentes públicos e privados na luta contra as mudanças climáticas.

Na ocasião, 12 compromissos internacionais foram firmados, reunindo cerca de 30 coalizões e iniciativas, com base em três campos de ação principais: aumentar o financiamento para a adaptação e a resiliência às mudanças climáticas; acelerar a transição para uma economia de baixo carbono; e posicionar firmemente os desafios climáticos no coração das finanças.

O evento é organizado pelo presidente da França, Emmanuel Macron; pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres; pelo presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e pelo enviado especial da ONU para Cidades e Mudanças Climáticas, Michael R. Bloomberg.

Subsidiária do grupo Balbo, proprietário da Usina São Francisco, a Native foi criada em 1997. Localizada na cidade de Sertãozinho, no interior paulista, a companhia responde por 28% da produção mundial de açúcar orgânico, exportando seus produtos para 70 países nos cinco continentes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade