Publicidade

Estado de Minas GERAL

PF acha 1,2 tonelada de cocaína em rolos compressores no Porto de Santos


postado em 18/09/2018 10:25

Uma operação conjunta da Polícia e da Receita Federal apreendeu quase 1,2 tonelada de cocaína escondida em rolos compressores que seriam embarcados para a África, no Porto de Santos, no litoral paulista.

As três máquinas que continham a droga estavam no terminal marítimo da Margem Direita do porto, aguardando o içamento a bordo do navio cargueiro Grande África. O destino dos equipamentos seria o Porto de Abidjan, em Costa do Marfim, mas a Polícia Federal acredita que a carga do entorpecente seguiria para a Europa.

A cocaína foi achada nesta segunda-feira, 17, após o serviço de inteligência da PF detectar um possível embarque de drogas escondidas em contêineres que seguiriam para o exterior. Com o apoio da alfândega, os agentes detectaram marcas de soldagem recente nos rolos compressores.

Os equipamentos foram abertos com a ajuda de maçaricos e o trabalho para a retirada da droga durou cerca de 12 horas. A cocaína pura estava embalada em forma de tabletes. Os rolos compressores eram usados, o que pode indicar que serviriam apenas para o transporte da droga. A PF informou que investiga, com a Receita, quem seriam os emissores do carregamento, mas não deu detalhes da apuração.

A apreensão é mais um indicativo de que o Porto de Santos se converteu numa das principais portas de saída da droga produzida em países da América do Sul, fronteiriços com o Brasil, para a Europa, usando como escala portos africanos. Só este ano, foram apreendidas 17 toneladas de entorpecente em áreas do terminal portuário - grande parte já embarcada em navios. Em todo o ano passado, foram apreendidas 11,5 toneladas.

Conforme a Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (Abtra), o narcotráfico e outras práticas de descaminho vêm sendo combatidos com o uso de tecnologia, que inclui escâneres de cargas com alta precisão, como o usado para detectar a droga no interior dos rolos compressores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade