Publicidade

Estado de Minas

Museus de SP participam de mostra de cinema sobre transexualidade


postado em 28/06/2018 13:06

São Paulo, 28 - A partir desta quinta-feira, 28, dia em que se celebra o orgulho LGBT, o Museu da Diversidade Sexual, a Casa das Rosas e o Museu da Imagem e do Som (MIS) participam do "TRANSdocumenta", mostra que irá discutir assuntos ligados à transexualidade por meio de diversas atividades, como exibição de documentários, debates e exposições fotográficas. A programação vai até o dia 9 de julho.

Com o objetivo de promover o diálogo e o debate sobre os desafios enfrentados pela população LGBTI+, as mostras incluem rodas de conversas com diretores dos documentários que serão exibidos ao longo da semana, pocket shows e a feira Ocupa Diversa, com peças de empreendedores LGBTI+.

A abertura do evento será nesta quinta-feira no Red Bull Station, às 19h. Na ocasião, o público pode conferir a exposição fotográfica "Com Muito Orgulho" e acompanhar o lançamento do projeto "Memórias da Diversidade", apresentado por Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual. A iniciativa traz depoimentos de pessoas LGBTIs com mais de 65 anos de idade.

Entre os documentários, estão curtas e longa-metragens nacionais e internacionais. Um deles é o curta de ficção brasileiro "Estamos Todos Aqui", dirigido por Chico Santos e Rafael Mellim. A produção abrange a transexualidade e explora a realidade dos moradores das favelas por meio de Rosa Luz, líder da Favela da Prainha, localizada no litoral sul de São Paulo.

Já o holandês "Transit Havana", dirigido por Daniel Abma, se passa em Cuba e conta a história de três transexuais que aguardam na fila de espera para realizar a cirurgia genital, realizada por cirurgiões europeus e organizada por Mariela Castro, filha do presidente.

Além destes, serão apresentados os brasileiros "Quarto Camarim", "Meu Nome é Jacque" e "Meu Corpo é Político"; os canadenses "Last Chance" (Última Chance), "My Prairie Home" (Meu Lar nas Pradarias) e o alemão "Auf der Anderen Seite" (Do Outro Lado).

O evento é parte da agenda de direitos humanos O Mundo que Queremos, do Governo do Estado, por meio da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI), em parceria com a ONU, e da campanha Sonhar o Mundo, realizada pelos museus da Secretaria da Cultura do Estado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade