Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura do Rio derruba boxes ilegais de camelódromo no centro


postado em 21/05/2018 12:36

São Paulo, 21 - A prefeitura do Rio de Janeiro derrubou 44 boxes do camelódromo da Rua Uruguaiana durante operação de ordenamento urbano neste domingo, 20. De acordo com a Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização, os boxes estavam em situação irregular.

A construção e venda desses boxes piratas é alvo de investigação da Polícia Civil, que aponta suspeita de participação de milícias na comercialização fraudulenta dos espaços, cujos valores podem chegar a R$ 3 milhões. De acordo com a prefeitura, os boxes derrubados neste fim de semana haviam sido interditados em abril por não apresentar alvará de funcionamento.

"A Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização (CLF) já havia interditado os locais várias vezes, mas as ordens de interdição dos fiscais vinham sendo reiteradamente descumpridas pelos comerciantes", informa a prefeitura do Rio.

O Mercado Popular da Uruguaiana, conhecido como Camelódromo da Uruguaiana, é localizado na região central do Rio, área de grande circulação de pessoas e venda de produtos a baixo preço, como eletrônicos, roupas e acessórios para celular.

No último dia 15, quatro pessoas foram presas durante ação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE) na região. O grupo era acusado de explorar irregularmente os boxes do centro popular e praticar extorsões.

Neste fim de semana, cerca de 70 agentes participaram da remoção dos boxes piratas. A prefeitura do Rio contou com o apoio da Guarda Municipal, Polícia Militar e Light. Foram utilizados três caminhões, dez viaturas e uma retroescavadeira. Nenhuma mercadoria foi apreendida pois todas já haviam sido retiradas dos boxes pelos comerciantes antes da ação.

A prefeitura informa que, para a próxima semana, planeja um abrir um chamado para recadastramento dos comerciantes regularizados que atuam na região.

(Paulo Roberto Netto)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade