Publicidade

Estado de Minas

PF e Marinha resgatam 25 estrangeiros de barco em alto-mar no Maranhão

De acordo com o governo do estado, dois brasileiros estão entre o grupo. O restante é composto por cidadãos de Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde


postado em 20/05/2018 13:47 / atualizado em 20/05/2018 14:09

A Polícia Federal está averiguando possíveis ocorrências de crimes praticados contra o grupo, relacionados a sua vinda ao Brasil(foto: Divulgação/Governo do Maranhão)
A Polícia Federal está averiguando possíveis ocorrências de crimes praticados contra o grupo, relacionados a sua vinda ao Brasil (foto: Divulgação/Governo do Maranhão)
A Polícia Federal e a Marinha do Brasil resgataram 27 pessoas que estavam dentro de um barco pesqueiro em alto-mar na noite desse sábado (19), próximo ao município de São José de Ribamar, Região Metropolitana de São Luís, no Maranhão. De acordo com o governo do estado, dois brasileiros estão entre o grupo. O restante é composto por cidadãos de Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde. 
 
Ainda segundo o Governo do Maranhão, as primeiras providências foram tomadas ainda no Cais de São José de Ribamar, onde foram realizados os primeiros atendimentos médicos e servidas refeições. A equipe multidisciplinar do Centro Estadual de Apoio às Vítimas (Ceav) também prestou apoio psicológico.
 
A Polícia Federal está averiguando possíveis ocorrências de crimes praticados contra o grupo, relacionados a sua vinda ao Brasil. A PF também avalia a situação jurídica dos mesmos no país.
 
Os 25 estrangeiros e dois brasileiros resgatados pela Marinha foram atendidos na Unidade de Pronto Atendimento do Araçagi, na madrugada deste domingo (20), apresentando quadro de desidratação.
 
A Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão informou que, após medicados e avaliados pela equipe multiprofissional da unidade, o grupo foi liberado e encaminhado para o Ginásio Costa Rodrigues, onde seguem assistidos pela Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), em caráter temporário, até que os procedimentos realizados pela Polícia Federal sejam finalizados.
 
Uma equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) realizará o acompanhamento dessas pessoas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade