Publicidade

Estado de Minas

Pianista Tânia Lopes Cançado morre em BH aos 67 anos

Artista, que deixa três filhos, lutava contra um câncer


postado em 07/05/2016 15:03 / atualizado em 07/05/2016 19:43

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
A pianista, pesquisadora e professora Tânia Mara Lopes Cançado, morreu na manhã deste sábado, aos 67 anos. O velório foi realizado no Parque da Colina, onde a artista foi enterrada. Tânia, que deixou três filhos, lutava, nos últimos anos, contra um câncer.

Nascida em Belo Horizonte, em 4 de abril de 1949, Tânia diplomou-se em 1972 pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. Estudou com a professora Vera Nardelli, Eduardo Hazan, Hans Graff, Jaques Klein e Sérgio Magnani. Prremiada em vários concursos nacionais de piano, obteve o primeiro lugar no concurso para professor da Escola de Música da UFMG, onde exerceu atividade a partir de 1978. Com mestrado e doutorado pela Shenandoah University (EUA), Tânia Cançado fez graduação e especialização na Escola de Música da Federal, da qual se tornou docente em 1978, tendo sido vice-diretora de 1986 a 1990 e diretora na gestão 1990-1994. Era pesquisadora dos temas ritmos africanos, ritmos haitianos, habanera cubana, choro-tango brasileiro, ragtime americano.

Em 1984, seu CD Tributo a Ernesto Nazareth foi indicado ao Prêmio SHARP, o qual abriu caminho para a divulgação da música brasileira na Europa e nos Estados Unidos. Tânia Lopes Cançado ainda criou o projeto Cariúna, programa sócio-cultural com o objetivo de levar o ensino das artes às crianças carentes da capital.


Publicidade