Publicidade

Estado de Minas

Anvisa identifica falsificação e proíbe venda de lote de remédio contra o câncer

O medicamento custa em torno de R$ 7.000


postado em 07/03/2012 10:47 / atualizado em 07/03/2012 19:49

Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União proíbe a distribuição, o comércio e o uso, em todo o território nacional, do medicamento MabThera 500mg/50ml (rituximabe), lote B6038 com as seguintes informações: VAL 12 2012 FAB 06 2010.

Segundo a Anvisa, a decisão foi tomada por se tratar de falsificação. De acordo com a resolução, o fabricante do medicamento informou que o lote original é de 2008, com vencimento em 2010.“Portanto, qualquer unidade que apresente datas diferentes deve ser considerada como falsificação”, explicou a Anvisa.

Ainda de acordo com informações da assessoria de imprensa do órgão, até agora não se sabe quem é o responsável pela falsificação do medicamento, que custa em torno de R$ 7.000. Além disso, foi informado que é possível que o uso do remédio falsificado possa afetar a saúde do paciente, por não haver ação esperada do medicamento, como também, pode haver perigo para quem consumir, pela ingestão de alguma substância tóxica, por isso a suspensão deve ser imediata.

Em geral, este produto não pode ser vendido nas farmácias, por ser classificado como medicamento hospitalar, oou seja o paciente vai até a clínica e lá recebe a aplicação.

Foi a própria  fabricante Roche Quimicos E Farmac S/A  que alertou a Anvisa sobre a falsificação. Confira nota na íntegra:

"A Roche comunicou à Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a suspeita de falsificação do lote de número B6038 do medicamento Mabthera® (rituximabe) 500mg/50ml, fabricado em 06/2010 e válido até 12/2012, em decorrência de informação encaminhada a partir de uma operação conjunta realizada pela Corregedoria Geral da Administração e pelo Departamento de Polícia de Proteção à cidadania do Estado de São Paulo.

 
A Roche ressalta que o medicamento original deste lote foi fabricado em 2008 e no rótulo do falsificado consta fabricação em 2010. Portanto, qualquer unidade deste lote que esteja sendo utilizada atualmente ou está com a validade vencida ou pode ser falsificado.
 
A empresa reforça também que continuará colaborando de forma clara, transparente e proativa com os órgãos competentes em prol de nossos consumidores".

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade