UAI
Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

EUA aprova nova ajuda militar à Ucrânia, incluindo lança-foguetes


22/07/2022 19:55

Os Estados Unidos aprovaram, nesta sexta-feira (22), um novo pacote de ajuda militar à Ucrânia no valor de US$ 270 milhões, incluindo quatro sistemas de lançamento de foguetes de precisão Himars.

A Rússia "lançou ataques mortais em todo o país, acertando centros comerciais e prédios de apartamentos, matando civis ucranianos inocentes", disse à imprensa o porta-voz da Casa Branca, John Kirby.

"Diante dessas atrocidades, o presidente [John Biden] deixou claro que vamos seguir apoiando o governo da Ucrânia e seu povo durante o tempo que for necessário", declarou.

A nova ajuda elevará a 20 o número de sistemas de foguetes de artilharia de alta mobilidade M142 enviados à Ucrânia, que indicou que os Himars, que podem atacar com precisão alvos em um raio de 80 quilômetros, já permitiram sucessos militares contra a Rússia.

O pacote inclui também até 500 Phoenix Ghost, drones pequenos e portáteis que detonam sobre seus alvos, assim como 36 mil cartuchos de munição de artilharia e quatro postos de comando de veículos blindados, que podem funcionar como um centro de operações no campo de batalha.

Grande parte dessa ajuda, ainda que não toda, vem de um pacote de US$ 40 bilhões aprovado para a Ucrânia pelo Congresso em maio.

O ministro de Defesa da Ucrânia, Oleksiy Reznikov, manifestou no início da semana sua esperança de que os Estados Unidos forneçam até 100 unidades Himars, dizendo que poderiam mudar o rumo da guerra a favor de seu país.

No entanto, o presidente americano colocou um limite no envio de foguetes de longo alcance por temor de que a Ucrânia possa atingir alvos dentro do território russo, potencialmente levando os EUA a se envolverem mais diretamente na guerra.

Biden "acredita que, embora um objetivo-chave dos Estados Unidos seja fazer o que for necessário para apoiar e defender a Ucrânia, outro objetivo-chave é garantir que não acabemos em uma circunstância em que nos encaminhamos para uma Terceira Guerra Mundial", explicou o conselheiro de segurança nacional, Jake Sullivan, no fórum de segurança em Aspen.

"Mas movimentamos bilhões de dólares em equipamentos a uma taxa que qualquer análise histórica razoável consideraria extremamente rápida, e continuaremos a fazê-lo", acrescentou Sullivan.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade