UAI
Publicidade

Estado de Minas MOSCOU

Rússia abre investigação penal contra opositor Ilya Yashin


12/07/2022 15:17

As autoridades russas abriram uma investigação penal contra Ilya Yashin, uma das últimas figuras da oposição remanescentes na Rússia, acusado de espalhar informações falsas sobre o Exército - disse seu advogado nesta terça-feira (12).

"Recebi um telefonema de um investigador: estão começando a revistar sua casa", disse o advogado Vadim Prokhorov no Facebook.

Yashin, de 39 anos, foi condenado a 15 dias de prisão, em 28 de junho, por "desobediência à autoridade". Ele rejeita a acusação.

Sua soltura está marcada para quarta-feira.

"Talvez eles me libertem, talvez não", escreveu.

A "divulgação de informações falsas" sobre o Exército é uma nova infração na Rússia e pode ser punida com 15 anos de prisão.

Foi implementada após o início da ofensiva na Ucrânia, em 24 de fevereiro. Desde então, as autoridades russas realizam uma repressão feroz contra as poucas vozes contrárias ao conflito, obrigando muitas delas a fugir para o exílio, com outras na prisão, ou sendo processadas.

Apesar de ter condenado a ofensiva na Ucrânia, Yashin decidiu permanecer no país.

"Os verdadeiros motivos da minha prisão são políticos, evidentemente. Sou um opositor, um deputado (municipal) independente, um crítico do presidente (Vladimir) Putin e contrário à guerra na Ucrânia", disse Yashin ao ser detido, em junho.

Ele integra a oposição liberal desde os anos 2000 e participou do grande movimento de manifestações contra o presidente Putin, entre 2011 e 2012.

Yashin é um aliado do ativista anticorrupção Alexei Navalny, principal rival do presidente russo. Este último se encontra em um presídio de segurança máxima, localizado ao norte de Moscou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade