UAI
Publicidade

Estado de Minas HAVANA

Forte explosão em hotel no centro de Havana deixa ao menos 22 mortos

O Saratoga, um luxuoso edifício neoclássico construído em 1880 para armazéns, foi remodelado como hotel em 1933 e reaberto em 2005


06/05/2022 22:24 - atualizado 06/05/2022 22:28

O hotel estava fechado ao público
O hotel estava fechado ao público (foto: Adalberto ROQUE / AFP )
Uma forte explosão atribuída a um vazamento de gás no hotel Saratoga, no centro de Havana, deixou ao menos 22 mortos e dezenas de feridos, nesta sexta-feira (6), destruindo vários andares e causando danos ao seu redor.

O hotel estava fechado ao público.

"Não foi uma bomba, nem um atentado, foi um acidente lamentável", disse o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, em frente à montanha de escombros que se erguia no hotel luxuoso, que estava sendo reformado.

Uma reportagem da TV estatal noticiou que surgiram quatro corpos sob os escombros, elevando a 22 o número de mortos.

Pouco antes, o chefe dos Serviços Hospitalares do Ministério da Saúde Pública, Julio Guerra, havia informado durante uma coletiva de imprensa que "até o momento 74 pessoas foram recebidas com ferimentos, das quais 18 lamentamos o falecimento", disse.

Mas a Presidência cubana reportou, por sua vez, 64 feridos e 18 mortos.

Segundo Guerra, entre os 18 mortos está uma criança. Outros 14 menores e os outros feridos são atendidos em oito hospitais de Havana.

A explosão aconteceu às 11h00 no horário local (12h00 no horário de Brasília). Díaz-Canel, chegou uma hora depois ao local para supervisionar os trabalhos de resgate.

O chanceler cubano, Bruno Rodríguez. expressou sua "solidariedade e consternação" pela tragédia e enviou "sinceras condolências aos familiares das vítimas fatais".

- Estrondo assustador -

"Sentimos um estrondo assustador e uma nuvem de poeira que atingiu o parque [em frente], muitas pessoas saíram correndo", disse à AFP Rogelio Garcia, motorista de ecotáxi que passava no momento da explosão.

Os primeiros quatro andares do Saratoga - hotel cinco estrelas com 96 quartos, dois restaurantes e uma piscina na cobertura - explodiram e ficaram praticamente destruídos, cercados por montanhas de escombros e pedaços de vidro. Vários carros que estavam perto do local foram danificados, constatou a AFP.

No hotel, que estava fechado e reabriria em 10 de maio, estavam os trabalhadores do estabelecimento.

"Até agora, não temos informação de estrangeiros feridos ou mortos, mas é preciso esperar porque a informação ainda é muito primária", disse ao seu lado o ministro de Turismo, Juan Carlos García Granda.

O responsável da empresa estatal Gaviota, proprietária do hotel, Roberto Calzadilla, disse que a explosão aconteceu quando "o gás estava sendo reabastecido com um cano [caminhão-tanque] e aparentemente foi isso que causou esse infeliz acidente".

Pouco depois da explosão, uma nuvem de fumaça e pó cobriu toda a área. Dos primeiros quatro andares do edifício, restam apenas algumas colunas que sustentam a estrutura.

Algumas pessoas eram atendidas por paramédicos, entre o movimento de ambulâncias e carros de bombeiros. Os policiais isolaram dois quarteirões com fita amarela.

- Um hotel popular -

"O que se sentiu foi uma explosão assustadora e tudo isso desmoronou", disse outra mulher que ainda tinha poeira no rosto e não quis se identificar.

Uma escola está localizada ao lado do hotel, mas felizmente "todas as crianças foram evacuadas e nenhuma ficou ferida", disse a presidência cubana.

A cúpula do telhado da Igreja Batista El Calvario posteriormente desabou. Imagens de televisão mostraram a destruição dentro do complexo.

"Nossa solidariedade com o irmão Presidente @DiazCanelB e com o povo cubano pela explosão ocorrida no Hotel", disse em um tweet o presidente boliviano, Luis Alberto Arce, que enviou "nossas condolências às famílias das vítimas e todo nosso apoio".

Por sua parte, o chanceler do México, Marcelo Ebrard , expressou em um tweet "nossa solidariedade às vítimas afetadas, assim como com o povo dessa querida nação irmã".

O Saratoga, um luxuoso edifício neoclássico construído em 1880 para armazéns, foi remodelado como hotel em 1933 e reaberto em 2005.

Como um dos hotéis mais populares de Havana, já recebeu várias personalidades como Beyoncé e Jay Z, que comemoraram um aniversário em 2013, bem como Madonna e sua filha Lourdes e Mick Jagger, o lendário membro dos Rolling Stones.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade