UAI
Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

Biden defende projeto de obras públicas em seu primeiro aniversário na Casa Branca


20/01/2022 20:22

Exatamente um ano após sua posse, Joe Biden se concentra em seu programa faraônico de infraestrutura para tentar fazer com que as pesquisas desfavoráveis e a paralisia parlamentar nos Estados Unidos sejam esquecidas com pontes e estradas.

Longe das promessas solenes de unir os americanos que fez nos degraus do Capitólio em 20 de janeiro de 2021, o presidente marcará este primeiro aniversário de maneira muito mais concreta.

"Nossa nação nunca fez tal investimento", disse ele, antes de se reunir nesta quinta-feira com a equipe encarregada de supervisionar os gastos de US$ 1,2 trilhão que custarão para renovar a infraestrutura decrépita.

O amplo programa (reparação de estradas, encanamentos, implantação de uma rede de internet...) é um dos poucos sucessos de uma presidência que passa por uma fase difícil.

É também uma questão consensual em um país que às vezes parece não concordar em nada. Pelo menos nesta ocasião a lei tem a aprovação de alguns parlamentares republicanos.

- Tom Hanks -

A estratégia traçada na quarta-feira pelo democrata de 79 anos durante uma coletiva de imprensa de quase duas horas foi clara: insistir nos sucessos econômicos e no combate à covid-19, refazer promessas e se aproximar da população.

O ator Tom Hanks narrou um clipe de dois minutos que apresenta os sucessos do presidente e a "resiliência" dos Estados Unidos.

No Twitter, a Casa Branca transmite depoimentos de um comerciante que se beneficiou de medidas de emergência, um estudante aplaudindo um projeto de desenvolvimento de internet de alta velocidade...

Mas a estratégia de comunicação também expõe as dificuldades da presidência de Biden. Testemunhos incluem o alívio de um pai por um crédito fiscal familiar.

O problema é que o benefício acabou porque Biden não conseguiu aprovar uma grande reforma social e ambiental de US$ 1,75 trilhão devido à falta de maioria suficiente no Senado.

O mesmo aconteceu com a proteção do acesso dos afro-americanos ao voto.

Em sua entrevista coletiva, Joe Biden prometeu salvar "grande parte" de seu programa social e ambiental e garantiu que não jogaria a toalha sobre a reforma eleitoral.

Com sua entrevista coletiva de duas horas, Biden pode ter desejado responder aos ataques de alguns republicanos sobre sua aptidão física e acuidade mental.

Mas Joe Biden, mais propenso a divagações do que "piadas", tropeçou recentemente, como costuma fazer, em sua tendência a fazer declarações às vezes confusas.

A Casa Branca teve que esclarecer na noite de quarta-feira um comentário controverso sobre uma possível "menor" incursão russa na Ucrânia.

Duas pesquisas indicaram nesta quinta-feira que será difícil dar impulso ao seu mandato.

Essas pesquisas da NBC e da CBS atribuem a ele uma popularidade de 43 ou 44%.

CBS CORPORATION

Twitter


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade