UAI
Publicidade

Estado de Minas SANTIAGO

Companheira de Boric quer dar visão feminista ao papel de primeira-dama do Chile


18/01/2022 16:47

A cientista social Irina Karamanos, companheira do presidente eleito do Chile, Gabriel Boric, anunciou nesta terça-feira (18) que decidiu assumir o tradicional papel de primeira-dama com o "compromisso de reformulá-lo" com uma visão feminista.

Karamanos, de 32 anos, é companheira desde 2019 do esquerdista Boric, que será empossado em 11 de março na Presidência do Chile, no lugar do conservador Sebastián Piñera.

"Quero anunciar que depois de várias semanas de projeto, decidimos assumir o papel tradicionalmente chamado de primeira-dama com o compromisso de reformulá-lo", disse Karamanos à imprensa nesta terça-feira, ao deixar a sede universitária onde a equipe de Boric trabalha na articulação de seu novo governo.

A função da primeira-dama no Chile não é regulamentada, mas tradicionalmente elas se encarregam de uma série de organizações sociais.

Ativa militante feminista, Karamanos disse que a reformulação desta função implica "adaptá-la aos tempos, dar-lhe uma guinada diferente e mais contemporânea".

"Como feminista, também penso que este lugar - que parece contraditório assumir como feminista - na realidade é majoritariamente um desafio que podemos aproveitar para falar de temas diferentes e mostrar uma nova forma de ocupar o poder", acrescentou.

Entre os temas que tentará dar relevância, destacou os de gênero e a infância migrante.

"Coloco-me à disposição deste projeto para trabalhar em benefício do Chile e de sua diversidade e fazendo isto em um papel menos caritativo (...) para poder usar a tribuna para visibilizar grupos que foram invisibilizados", acrescentou.

Boric, que durante a campanha eleitoral mostrou-se favorável a abolir a função da primeira-dama, argumentando que "não poder haver cargos no Estado que tenham a ver ou estejam relacionados com o parentesco do Presidente ou com ninguém", elogiou a decisão da parceira.

"Sua intenção de modernizar e tornar mais transparente o cargo reflete o trabalho que coletivamente vimos fazendo: temos que fazer as mudanças com responsabilidade e de dentro", escreveu o presidente eleito em sua conta no Twitter.

Karamanos é a encarregada nacional da Frente Feminista do partido Convergência Social, que faz parte da Frente Ampla e que Boric também integra.

De ascendência grega e alemã, Karamanos estudou na Universidade de Heidelberg, na Alemanha.

Gabriel Boric, de 35 anos, assumirá o cargo como o presidente mais jovem da história do Chile, após vencer no segundo turno, em 19 de dezembro, o ultraconservador José Antonio Kast.

Ao final desta semana, o presidente eleito tem previsto anunciar seu gabinete de ministros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade