UAI
Publicidade

Estado de Minas ABUJA

Bloco da África Ocidental exige calendário eleitoral da Guiné


13/12/2021 23:37

Governistas do bloco de países da África Ocidental (ECOWAS) exigiram nesta segunda-feira (13) da junta militar da Guiné a definição de um calendário eleitoral que leve à restituição do comando civil.

O ECOWAS continua "muito preocupado de que três meses depois do golpe de Estado não tenha sido emitido um calendário para o retorno à ordem constitucional", informaram em um comunicado.

O grupo insistiu na necessidade de que o regime celebre eleições no prazo de seis meses. Enquanto isso, disse que manteria as sanções vigentes.

A declaração desta segunda-feira ocorre um dia depois de os governistas do bloco realizarem uma cúpula na Nigéria.

O ECOWAS suspendeu a Guiné do bloco e impôs sanções a membros da junta e seus familiares em represália pelo golpe de 5 de setembro, que depôs o presidente Alpha Condé.

O líder da junta, Mamady Doumbouya, instalou-se como presidente de transição e formou um governo com Mohamed Beavogui, ex-subsecretário-geral da ONU, como primeiro-ministro da transição.

Doumbouya, de 41 anos, prometeu devolver o poder aos civis, mas tem se negado a definir um calendário.

Enquanto isso, o ECOWAS comemorou a notícia de libertação de Condé após 12 meses de detenção. Segundo informações publicadas na imprensa, ele continua sob vigilância, mas está com a esposa em um subúrbio da capital, Conacri.

Em 2010, Condé se tornou o primeiro governista eleito democraticamente na Guiné, mas no ano passado provocou grandes protestos ao modificar a Constituição para tentar um terceiro mandato.

Embora tenha sido reeleito, seus críticos denunciaram a votação como fraudulenta.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade