UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Jornalista Fenster retorna aos EUA após sua libertação em Mianmar


16/11/2021 13:36 - atualizado 16/11/2021 13:38

O jornalista americano Danny Fenster, detido em Mianmar desde maio, chegou a Nova York nesta terça-feira (16) depois de ser perdoado e expulso pelas autoridades militares birmanesas, apurou a AFP.

"É incrível", disse Danny Fenster ao abraçar seus pais e irmão que o esperavam no Aeroporto Internacional JFK em Nova York, onde ele pousou por volta das 8h00 locais.

O jornalista de 37 anos, visivelmente cansado, chegou acompanhado do diplomata americano Bill Richardson, que negociou sua libertação com as autoridades birmanesas.

"É um momento que foi esperado intensamente todo esse tempo", disse ele a jornalistas, afirmando que "superou as expectativas".

Na semana passada, as autoridades militares responsáveis por um golpe em fevereiro condenaram o jornalista a 11 anos de prisão por incitação à violência, associação criminosa e violação das regras de visto.

Ele foi libertado na segunda-feira, um dia antes de sua convocação a um tribunal para responder a acusações de terrorismo e sedição que poderiam leva-lo à prisão perpétua.

No mesmo dia ele viajou para Doha, no Catar.

A junta militar citou "razões humanitárias" para justificar a libertação do jornalista, encerrando 176 dias de detenção em uma prisão da era colonial por onde passaram a maioria dos dissidentes mais famosos do país.

"Fui preso e mantido em cativeiro sem motivo (...) mas fisicamente me mantive saudável. Não sofri fome ou espancamentos", disse Fenster a repórteres em sua escala na capital do Catar.

Conforme seu cativeiro se arrastava, "temia que nunca acabasse, então minha principal preocupação era permanecer são", disse.

Sua libertação foi facilitada por negociações conduzidas por Richardson diretamente com o chefe da junta, Min Aung Hlaing.

O ex-diplomata garantiu em Nova York que havia cumprido essa missão por conta própria e não em nome do governo dos Estados Unidos.

"Não, eu não trabalho para o governo dos Estados Unidos. Não era um emissário", declarou o ex-embaixador dos Estados Unidos na ONU em entrevista coletiva no aeroporto de Nova York, junto com Danny Fenster.

Aos 74 anos e à frente de sua própria organização, a Richardson Center, o ex-diplomata se especializou em delicadas missões para obter a libertação de seus compatriotas detidos por "regimes hostis".

Fenster "é um jornalista que fazia seu trabalho, um jornalista que relatava o que estava acontecendo e que não deveria ter sofrido isso", disse Richardson.

O americano foi o primeiro jornalista ocidental preso em Mianmar por muitos anos.

Os militares tomaram o poder naquele país em fevereiro, encerrando uma década de uma frágil democracia liderada pela Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, que está sendo julgada.

Deste então, as autoridades militares detiveram dezenas de jornalistas críticos do golpe, em uma violenta repressão na qual morreram mais de 1.200 pessoas, segundo uma ONG local.

Fenster, que trabalhava para a Frontier Myanmar, uma publicação local, foi preso quando tentou deixar o país em maio para visitar seus pais nos Estados Unidos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade