UAI
Publicidade

Estado de Minas EREVAN

Em meio à escalada, Armênia teme retorno da guerra de 2020 com Azerbaijão


16/11/2021 12:26 - atualizado 16/11/2021 12:31

A Armênia sofreu "perdas" humanas nos combates em curso contra o Azerbaijão, nesta terça-feira (16), fazendo temer uma retomada da guerra que opôs esses dois países rivais do Cáucaso no ano passado - informou o Ministério armênio da Defesa.

"Um ataque das forças azerbaijanas contra as posições das forças armênias causou mortos e feridos no lado armênio", disse um comunicado do Ministério da Defesa divulgado em Yerevan.

Nos confrontos, o Exército armênio perdeu "duas posições militares", acrescentou o comunicado.

Ao mesmo tempo, a nota afirma que a Armênia infligiu "perdas humanas significativas" às forças do azerbaijanas.

"Os combates continuam, não diminuíram de intensidade", acrescentou.

Os confrontos aconteceram perto da região sob disputa de Nagorno Karabakh.

O Azerbaijão afirmou, por sua vez, que os soldados armênios abandonaram suas posições, "tomados pelo pânico".

"Os militares azerbaijanos rejeitaram um contra-ataque das forças armênias", frisou o Ministério da Defesa do Azerbaijão.

"Os soldados armênios, aterrorizados e confusos, abandonam suas posições", completou a mesma fonte.

Diante deste cenário, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, pediu hoje o fim urgente das hostilidades entre ambos os países.

"Pedimos uma desescalada urgente [das tensões] e um completo cessar-fogo", tuitou Michel, após contatos com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, e com o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan.

Esta região do Cáucaso, destacou Michel, está passando, neste momento, por uma "situação muito desafiadora".

"A União Europeia está comprometida com trabalhar com associados para superar as tensões para um Cáucaso Sul próspero e estável", acrescentou.

Em 2020, a região de Nagorno-Karabakh foi palco de um conflito entre armênios e azerbaijanos que deixou mais de 6.500 mortos e envolveu a cessão, por parte da Armênia, de territórios há décadas sob seu controle.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade