UAI
Publicidade

Estado de Minas NAÇÕES UNIDAS

Conselho de Segurança da ONU pede cessar-fogo na Etiópia


05/11/2021 19:03

O Conselho de Segurança das Nações Unidas manifestou nesta sexta-feira (5) sua "profunda" preocupação com a expansão do conflito no norte da Etiópia e exortou as partes a "encerrar as hostilidades e negociar um cessar-fogo duradouro".

Da mesma forma, os membros da organização expressaram sua "séria preocupação com o impacto do conflito na situação humanitária (...), assim como na estabilidade do país e da região", segundo um comunicado lido pelo presidente, o embaixador mexicano Juan Ramón de la Fuente.

O mais alto órgão de manutenção da paz da ONU planejava realizar na tarde desta sexta uma reunião sob o título "Paz e Segurança na África", na qual iria analisar a situação na Etiópia, mas o encontro foi adiado para a próxima semana.

Enquanto isso, na nota, os 15 membros concordaram em fazer um apelo para que as partes em conflito no país africano "contenham as mensagens inflamatórias de ódio e incitação à violência e divisão". Também pediram o acesso "seguro e desimpedido" da ajuda humanitária e a restauração dos serviços públicos.

O subsecretário da ONU para Assuntos Humanitários, Martin Griffiths, iniciou nesta sexta uma visita à Etiópia, onde se encontrou com o primeiro-ministro Abiy Ahmed para discutir a situação humanitária e as dificuldades no terreno para levar ajuda às vítimas do conflito, especialmente na região do Tigré.

São cerca de 20 milhões de pessoas, segundo a ONU, que precisam de ajuda humanitária. A organização ainda busca 1,3 bilhão de dólares para seu programa humanitário no país.

Até o momento, pouco mais de 1 bilhão foi mobilizado, o que está "longe" do suficiente para cobrir as crescentes necessidades deixadas pela guerra contra os rebeldes da TPLF, que estourou há um ano quando o governo federal enviou o exército para destituir autoridades dissidentes em resposta a supostos ataques a bases militares federais.

Ahmed proclamou vitória no fim de novembro de 2020, mas desde junho deste ano o conflito mudou completamente de rumo, com os rebeldes do Tigré avançando para além de sua região.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade