UAI
Publicidade

Estado de Minas TASHKENT

Uzbequistão e Talibã se reúnem para falar de comércio e ajuda humanitária


16/10/2021 17:40

Representantes do movimento talibã no Afeganistão viajaram neste sábado (16) ao vizinho Uzbequistão para realizar negociações sobre comércio e o envio de ajuda humanitária, informou o Ministério das Relações Exteriores da ex-república soviética.

As negociações aconteceram na cidade fronteiriça de Termez, no extremo sudeste do Uzbequistão, entre a delegação talibã liderada por Abdul Salam Hanafi, o número dois do novo governo em Cabul, e o vice-primeiro-ministro uzbeque, Sardor Umurzakov.

Segundo o ministério do país centro-asiático, o diálogo incidiu sobre "temas relacionados com o comércio e as relações econômicas, a segurança fronteiriça, a cooperação no âmbito energético, o transporte internacional de mercadorias e o trânsito".

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) anunciou esta semana o envio por avião, que será realizado em breve, de três lotes de ajuda humanitária a Termez, que depois serão levados por terra ao Afeganistão.

O Uzbequistão e seu vizinho Turcomenistão, outra ex-república soviética, vêm adotando uma postura pragmática diante do retorno dos talibãs ao poder no Afeganistão.

Os governos dos dois países mantiveram abertos os canais diretos de comunicação com o movimento islamista durante os últimos anos para garantir a segurança dos projetos transfronteiriços de infraestrutura.

Por outro lado, o Tajiquistão, que também é uma ex-república soviética com fronteira com o Afeganistão, tem evitado negociar oficialmente com os talibãs.

No início desta semana, os talibãs se reuniram com uma delegação conjunta de Estados Unidos e União Europeia no Catar. Em paralelo a este encontro, a União Europeia anunciou, durante a reunião do G20, uma ajuda de 1 bilhão de euros para o Afeganistão.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade