UAI
Publicidade

Estado de Minas DOHA

HRW teme por situação de ativista feminista do Catar


15/10/2021 18:31

A ONG Human Rights Watch (HRW) afirmou nesta sexta-feira (15) que está preocupada com uma ativista dos direitos das mulheres no Catar, que afirma ter sido ameaçada por sua família após solicitar asilo no Reino Unido.

Nuf al-Maadid, muito crítica com o tratamento dispensado às mulheres no país conservador do Golfo Pérsico, disse no Twitter que tinha sofrido ameaças desde que retornou ao Catar em setembro.

"Ela enfrenta um perigo iminente de abuso", declarou à AFP Rothna Begum, investigadora da HRW.

Maadid, uma jovem em seus 20 anos, não fez nenhuma publicação nas redes sociais há dois dias, nem respondeu ao contato telefônico da AFP.

O governo do Catar, por sua vez, não quis fazer comentários sobre o assunto, mas uma fonte próxima do caso afirmou que as autoridades estão ajudando a jovem, que estaria em um lugar seguro, mantido em segredo.

Amal al-Malki, decana e professora da universidade Hamad ben Khalifa, em Doha, disse que uma "fonte confiável" lhe contara que Maadid "está em boas mãos".

A jovem ativista usava seus perfis nas redes sociais, que contam com muitos seguidores, para denunciar o sistema de "tutela" que obriga as mulheres a obter o consentimento de um homem (um familiar) para suas atividades cotidianas.

Um vídeo publicado por Nuf al-Maadid no TikTok, no qual ela explicava o procedimento para realizar um pedido de asilo no Reino Unido, foi visto por centenas de milhares de pessoas.

Maadid tinha afirmado que retornou ao Catar "por razões familiares". Em setembro, a ministra do Interior do Reino Unido, Priti Patel, disse à AFP que a jovem tinha voltado "ao Catar por sua própria vontade".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade