UAI
Publicidade

Estado de Minas NORUEGA

Homem com arco flecha deixa mortos e feridos em cidade da Noruega

Polícia investiga se criminoso agiu sozinho e se tem envolvimento com atos de terrorismo


14/10/2021 04:00

Policiais isolaram ruas de Kongsberg
Policiais isolaram ruas de Kongsberg, de 28 mil habitantes, após os ataques praticados por um homem (foto: Håkon Mosvold Larsen/NTB/AFP)

Oslo – Um homem matou ao menos cinco pessoas e feriu várias outras com arco e flecha no Centro da cidade de Kongsberg, município de 28 mil habitantes e a 67 quilômetros de Oslo, capital da Noruega, por volta das 18h de ontem (13h em Brasília). Fontes policiais informaram que o assassino, que foi preso, mas não teve sua identificada divulgada até a noite de ontem, saiu andando pela cidade disparando flechas contra as pessoas, aparentemente de maneira aleatória. Uma testemunha relatou ao jornal Aftenposten que alguns disparos foram feitos em um supermercado. O jornal Laagendalsposten informou que uma testemunha viu o criminoso fugir da polícia e uma mulher ferida em um cruzamento pedido ajuda.

"Lamentavelmente, podemos confirmar que há vários feridos e também, desgraçadamente, vários mortos. O homem que cometeu este ato foi detido pela polícia e, segundo o que sabemos, só há uma pessoa envolvida'', disse Øyvind Aas, chefe da polícia local, em entrevista coletiva.

 "O homem foi preso. Pelas informações que temos agora, essa pessoa executou essas ações sozinha. Várias pessoas ficaram feridas e várias estão mortas", completou Aas, admitindo que poderiam ser pelos menos cinco mortos.

Toda uma área no Centro de Kongsberg e os arredores de uma antiga prisão foram isolados pela polícia, que acredita que o criminoso agiu sozinho e investiga possível ato de terrorismo. Devido à chacina, a polícia norueguesa avisou que andará armada temporariamente. É praxe na Noruega patrulheiros circularem desarmados por causa do alto grau de segurança pública. “Essa medida é apenas para precaução extra. Ainda não há indicação de que há mudança no nível nacional de ameaça”, disse o diretório em comunicado.

Em 22 de julho de 2011, o extremista de direita Anders Breivik detonou um carro-bomba em frente aos escritórios do governo em Oslo e, duas horas depois, atacou um acampamento de verão para jovens ativistas políticos na ilha de Utøya. Setenta e sete pessoas foram mortas naquele dia, a maioria delas na ilha.

Em agosto de 2019, outro homem invadiu uma mesquita em Oslo armado com armas antes de ser dominado por policiais. Naquele ano, o serviço de inteligência do país informou que o terrorismo de direita estava aumentando globalmente e alertou que o país provavelmente seria o alvo em um futuro próximo.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade