UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Wall Street fecha em alta, aliviada por potencial acordo sobre a dívida dos EUA


06/10/2021 19:03

A bolsa de Nova York fechou em alta nesta quarta-feira (6), aliviada pela possibilidade de que o teto de endividamento dos Estados Unidos aumente pelo menos até dezembro.

O Dow Jones valorizou-se 0,30% a 34.416,99 pontos, enquanto o índice tecnológico Nasdaq subiu 0,47% a 14.501,91 unidades. O S&P; 500 subiu 0,41% a 4.363,55 pontos.

A sessão abriu no vermelho devido a preocupações com a inflação e a estagnação política da dívida no Congresso.

Mas, finalmente mudou de rumo após o anúncio do líder republicano no Senado, Mitch McConnell.

McConnell propôs a aprovação de uma extensão emergencial do teto da dívida o quanto antes para desobstruir o problema até dezembro, dando tempo ao governo democrata para preparar uma solução de mais longo prazo.

"Para proteger o povo americano de uma crise a curto prazo criada pelos democratas, permitiremos que os democratas usem os procedimentos normais para aprovar uma extensão do limite da dívida de emergência a um montante fixo em dólares para cobrir os níveis de gastos atuais até dezembro", disse McConnell.

Isso dará tempo suficiente ao partido do presidente Joe Biden para aprovar uma solução de mais longo prazo com os votos democratas, através de uma complicada manobra parlamentar.

Os democratas rejeitam agora seguir este procedimento conhecido como "reconciliação" para aprovar um aumento ou a suspensão do limite de endividamento apenas com seus votos. Por isso, a situação poderia recusar a oferta republicana após as discussões desta quarta-feira.

Os Estados Unidos nunca entraram em moratória sobre a sua dívida.

"Hoje começamos o dia com os investidores cada vez mais nervosos" com um default, mas "pelo menos por enquanto, este desastre potencial passou ao segundo plano", comentou Art Hogan, encarregado de estratégia da National Securities.

Entre os valores do dia, o grupo siderúrgico US Steel recuou 8,65% a 20,50 dólares por ação, após a publicação de uma nota de analistas do banco Goldman Sachs que apontam para uma possível correção dos preços do aço.

O mesmo banco baixou sua recomendação para as companhias aéreas American Airlines (que perdeu 4,33% a 20,54 dólares) e JetBlue (-2,67% a 15,69 dólares), argumentando que a reativação das viagens é mais lenta do que o previsto, em um contexto do aumento dos preços da energia.

American Airlines

FORD MOTOR

AMAZON.COM

GOLDMAN SACHS GROUP

HERTZ GLOBAL HOLDINGS

UNITED STATES STEEL CORPORATION

TARGET

PEPSICO

JETBLUE AIRWAYS


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade