UAI
Publicidade

Estado de Minas MANCHESTER

Londres voltar a levantar o tom sobre situação na Irlanda do Norte


03/10/2021 22:05

O governo britânico alertará nesta segunda-feira (4) que "foi ultrapassado o limite" que lhe permite suspender unilateralmente as disposições alfandegárias pós-Brexit estabelecidas especificamente na Irlanda do Norte, objeto de tensão entre Londres e a União Europeia.

Em um discurso a ser feito na segunda-feira no congresso nacional do Partido Conservador, o secretário de Estado à frente do assunto, David Frost, "fará um alerta à União Europeia sobre o protocolo da Irlanda do Norte", segundo um comunicado dos conservadores.

Frost avisará "que o protocolo atual viola o acordo de paz da Sexta-Feira Santa e que o limite que permite recorrer ao artigo 16 foi ultrapassado", disse a mesma fonte sobre a intervenção que ocorrerá na conferência em Manchester, no noroeste de Inglaterra.

O Executivo britânico quer renegociar em profundidade o protocolo da fronteira com a Irlanda do Norte, apesar da recusa de Bruxelas.

Já havia ameaçado várias vezes no passado recorrer ao artigo 16, que permite a revogação de algumas das disposições do acordo em caso de "graves dificuldades econômicas, sociais ou ambientais".

Para evitar o retorno de uma fronteira entre a Irlanda do Norte e a Irlanda, que faz parte da União Europeia, o protocolo norte-irlandês estabeleceu uma fronteira alfandegária entre a província britânica do norte da ilha irlandesa e a ilha da Grã-Bretanha.

Mas esse pacto, alcançado após árduas negociações, gera muitas críticas entre os sindicalistas irlandeses, que o acusam de dificultar o abastecimento de produtos por via marítima entre a Grã-Bretanha e a Irlanda do Norte.

O protocolo entrou em vigor em 1º de janeiro deste ano, quando o Reino Unido deixou o mercado único europeu após um período de transição posterior ao Brexit.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade