UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Americano se declara culpado de assessorar Coreia do Norte sobre criptomoedas


27/09/2021 19:50

O cidadão americano Virgil Griffith se declarou culpado de assessorar o governo norte-coreano fornecendo serviços de criptomoedas e tecnologia de blockchain para contornar as sanções americanas contra o programa nuclear do país asiático, anunciou um tribunal de Nova York nesta segunda-feira (27).

De acordo com o Tribunal Distrital do Sul de Nova York, Griffith, um especialista em criptomoedas radicado em Cingapura, começou a elaborar projetos em 2018 para fornecer serviços a indivíduos na Coreia do Norte, desenvolvendo e financiando estruturas de criptomoedas, incluindo a exploração de estruturas deste tipo de moeda.

A decisão do tribunal será anunciada em 18 de janeiro de 2022.

Griffith, 38 anos, que pode ser sentenciado a 20 anos de prisão, trabalhou com outras pessoas para fornecer serviços de criptomoedas e ajudar a Coreia do Norte a contornar sanções, de acordo com o tribunal.

O réu "concordou em ajudar um dos adversários estrangeiros mais perigosos de nosso país, a Coreia do Norte", afirmou a promotora Audray Strauss.

Os Estados Unidos proíbem a exportação de bens, serviços ou tecnologia para a Coreia do Norte sem permissão especial do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro.

"Griffith sabia que a Coreia do Norte poderia usar esses serviços para contornar as sanções americanas e financiar seu programa de armas nucleares e outras atividades ilícitas", disse o tribunal.

Em abril de 2019, Griffith viajou para a Coreia do Norte para participar e apresentar uma conferência sobre criptomoedas em Pyongyang, apesar de ter a permissão do Departamento de Estado negada para viajar para aquele país.

Depois de fazer uma apresentação na conferência, "sabendo que isso violava as sanções americanas" contra Pyongyang, o especialista continuou a desenvolver seu projeto para facilitar a troca de criptomoedas entre as Coreias do Sul e do Norte.

Griffith foi detido em novembro de 2019 no Aeroporto Internacional de Los Angeles.

Conhecido como um "hacker de culto" no perfil do New York Times há 11 anos, Griffith tem um doutorado em neurociência teórica pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia.

Quatro anos atrás, ele se uniu à Ethereum, uma empresa sediada em Cingapura que desenvolve uma plataforma global com tecnologia blockchain para uso comercial e financeiro e promove a criptomoeda de mesmo nome.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade