Publicidade

Estado de Minas RETOMADA IMPACTADA

Variante delta ameaça recuperação do mercado de trabalho nos EUA

Setor privado criou 330 mil vagas de trabalho em julho, segundo pesquisa; analistas, no entanto, esperavam 650 mil


04/08/2021 17:14 - atualizado 04/08/2021 17:36

Pesquisa aponta desaceleração acentuada no ritmo de criação de vagas de emprego nos Estados Unidos(foto: Brandon Bell / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
Pesquisa aponta desaceleração acentuada no ritmo de criação de vagas de emprego nos Estados Unidos (foto: Brandon Bell / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
O otimismo dá lugar ao ceticismo no mercado de trabalho nos Estados Unidos, onde os empregos são recuperados lentamente em meio a obstáculos e a ameaça latente da variante delta do coronavírus.

O setor privado criou 330 mil vagas em julho, segundo a pesquisa mensal da empresa de serviços empresariais ADP, divulgada nesta quarta-feira(4). Os analistas, no entanto, esperavam 650 mil.

O número de junho foi revisado para 680 mil, em vez de 692 mil.

"A recuperação do mercado de trabalho reflete um progresso desigual, mas continua avançando. Os números de julho mostram uma desaceleração acentuada no ritmo de crescimento da empregabilidade no segundo trimestre", disse Nela Richardson, economista-chefe da ADP.

O setor de serviços, o mais afetado pela crise, gerou quase a totalidade dos novos empregos neste mês, com 318 mil vagas, mais da metade delas em lazer e hotelaria (139 mil).

A criação de empregos no setor privado é vista como um primeiro indício da taxa de desemprego de julho, que será divulgada na sexta-feira, e deve cair 0,3 ponto, para 5,6%.

Juntos, os setores público e privado podem ter criado quase um milhão de empregos.

- Obstáculos -

No entanto, problemas como cuidados com as crianças, transporte e também o medo da infecção por COVID-19 continuam sendo um obstáculo ao retorno ao trabalho de muitos desempregados.

Metade dos estados do país reduziram ou mesmo eliminaram os seguros- desemprego excepcionais, concedidos durante a pandemia, sem esperar que expirassem, em 6 de setembro, argumentando que esses benefícios incentivam os desempregados a ficar em casa em vez de procurar trabalho.

Se as aulas presenciais não retornarem após o verão boreal e as crianças precisarem estudar virtualmente mais uma vez, o retorno ao trabalho de muitos pais, principalmente mulheres com filhos, será dificultado.

Alguns trabalhadores não podem aceitar empregos, observa Walter Simmons, presidente da ONG Employ Prince George's.

Os transportes coletivos não retomaram seus horários e frequências habituais. As creches têm capacidade de atendimento limitada, o que impede muitos pais de irem trabalhar.

E quando várias gerações vivem sob o mesmo teto, o medo de contrair o vírus no trabalho e infectar entes queridos é grande, especialmente com a propagação da variante delta altamente contagiosa, acrescenta Simmons.

Ao longo do mês de julho a taxa de desemprego teve uma evolução irregular, sendo que no início do mês 13,2 milhões de pessoas ainda recebiam seguro-desemprego, de acordo com os últimos dados oficiais disponíveis.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade