Publicidade

Estado de Minas ROMA

Assessor italiano de extrema direita mata marroquino em praça púbica


21/07/2021 11:54

Um assessor de extrema direita do município de Voghera (norte da Itália) atirou, na terça-feira (20) à noite, em um marroquino durante uma discussão em uma praça pública, um ato considerado de autodefesa, segundo o líder de seu partido, Matteo Salvini, o que gerou reações mistas.

Massimo Adriatici, membro da Liga, assessor de segurança de Voghera e ex-comandante da polícia, está sob prisão domiciliar após a abertura de uma investigação por parte do Ministério Público.

Segundo depoimentos citados pela imprensa italiana, foi um ato de defesa desproporcional.

A vítima, um marroquino de 39 anos, recebeu um tiro no peito depois de irritar os clientes, entre eles uma mulher, que se encontravam em frente a uma cafeteria de Voghera, perto de Padua.

Segundo o assessor, foi um disparo acidental depois que sua pistola caiu no chão, o que o MP deverá analisar.

O caso desencadeou várias reações, principalmente depois que o líder da extrema direita Matteo Salvini defendeu o assessor publicamente, alegando que foi "vítima de uma agressão" e que agiu "em legítima defesa".

"Ele respondeu acidentalmente com um disparo que, infelizmente, matou um cidadão estrangeiro", explicou Salvini em um vídeo divulgado em sua página do Facebook.

O senador Alan Ferrari, do Partido Democrático (centro-esquerda), eleito por essa região, pediu imediatamente a Matteo Salvini para condenar os fatos.

"Em um país civilizado e democrático, um assessor não atira em uma pessoa", destacou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade