Publicidade

Estado de Minas LOS ANGELES

Incêndios extremos e fumaça densa invadem oeste dos Estados Unidos e Canadá


15/07/2021 19:32

O início brutal da temporada de incêndios florestais no oeste dos Estados Unidos e no Canadá agravou-se nesta quinta-feira (15), quando um foco maciço em Oregon explodiu em condições secas e ventosas e um novo desastre na Califórnia deixou sob ameaça comunidades devastadas pelo Camp Fire de 2018.

As autoridades americanas que lutam contra incêndios florestais elevaram sua preparação interinstitucional ao mais alto nível. É o primeiro movimento desse tipo em uma década, enquanto a região sofre com os efeitos de ondas de calor consecutivas, que, segundo os especialistas, pioraram com o aquecimento global.

"Este fogo vai continuar crescendo, a vegetação e o clima extremamente seco não estão ao nosso favor", disse Joe Hessel, que lidera uma equipe que combate o incêndio de quase 92.000 hectares no estado do Oregon.

Queimando o equivalente a 130.000 campos de futebol, o Bootleg Fire - a mais de 400 km ao sul da cidade de Portland - é o maior incêndio ativo nos Estados Unidos, expelindo uma espessa fumaça visível do espaço, que cobre partes dos vizinhos Washington e Idaho.

Equipes dos bombeiros foram enviadas de locais distantes, como São Francisco, para lidar com o incêndio, que mostra um crescimento "extremo" por meio de arbustos atingidos pela seca e pelas condições quentes, secas e com vento. Ele começou há mais de uma semana e estava apenas 7% controlado, de acordo com autoridades, depois de ter destruído 21 casas e ameaçado quase 2.000 outras.

O incidente é apenas um dos cerca de 70 grandes incêndios que destroem cerca de 405.000 hectares apenas nos Estados Unidos. O governador de Montana, no noroeste, decretou emergência por incêndio florestal em toda essa sub-região nesta quarta-feira.

Na Califórnia, o recém-surgido Dixie Fire começou a avançar perto da cidade de Paradise, que foi arrasada pelo notório Camp Fire em 2018, o mais mortal na história moderna do estado, matando 86 pessoas. "O incêndio começou a apenas alguns quilômetros, na mesma estrada que o Camp Fire em 2018", disse ao "Los Angeles Times" David Little, da Fundação da Comunidade de North Valley, criada para ajudar as vítimas. "É realmente uma sensação preocupante de 'déjà vú'", disse Little.

O incêndio Dixie dobrou de tamanho durante a noite e não estava controlado, mas se afastava de áreas povoadas como Paradise. Em outra parte da Califórnia, o complexo ígneo de Beckwourth, uma combinação de dois incêndios causados por um raio na semana passada se aproximou de 45.000 hectares nesta quinta-feira.

O ano passado foi o pior na história moderna da Califórnia em hectares queimados, mas 2021 supera até mesmo esse recorde de destruição. A temporada de incêndios começa mais cedo e termina mais tarde a cada ano, enquanto grande parte do estado sofre com uma seca severa de anos.

No Canadá, alertas de qualidade do ar foram emitidos em várias partes da Colúmbia Britânica devido à fumaça de incêndios florestais. Até a tarde de hoje, essa província registrava 309 incêndios, 23 dos quais começaram nos últimos dois dias.

Cientistas afirmam que as ondas de calor que atingiram o oeste dos Estados Unidos e o Canadá no fim de junho teriam sido "virtualmente impossíveis" sem as mudanças climáticas causadas pelo homem.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade