Publicidade

Estado de Minas BUENOS AIRES

Morreu padre italiano condenado por abuso de crianças surdas na Argentina


14/07/2021 22:42

O padre italiano Nicola Corradi, condenado em 2019 pela Justiça argentina a 42 anos de prisão por abuso sexual e estupro de crianças com deficiência auditiva em um internato, morreu nesta quarta-feira, aos 84 anos, em Mendoza, anunciou o Judiciário da província argentina.

O padre cumpria prisão domiciliar, devido à sua idade e a problemas de saúde. Em 2019, ele foi declarado culpado por um tribunal da Argentina, juntamente com o padre argentino Horacio Corbacho, condenado a 45 anos de prisão. Além deles, o jardineiro Armando Gómes recebeu uma pena de 18 anos de prisão.

A Justiça considerou 25 casos de abuso e estupro de crianças cometidos entre 2004 e 2016 no Instituto de Ensino Próvolo de Mendoza. Foram ouvidos depoimentos de 13 vítimas. O estabelecimento foi fechado em 2016, como resultado do escândalo.

"Morreu Corradi, uma pessoa julgada e condenada pelos abusos cometidos em Mendoza. Estamos satisfeitos, porque pudemos mostrar ao mundo quem pode ter sido o representante da Igreja Católica mais pedófilo de todos os tempos", declarou à AFP Ariel Lizarraga, pai de Daiana, primeira denunciante. "Mas para os sobreviventes do Próvolo, é uma etapa parcialmente superada, já que as cicatrizes permanecem", assinalou.

Em maio passado, teve início um segundo julgamento derivado do mesmo caso, no qual são acusadas as freiras Kumiko Kosaka (46 anos, do Japão) e Asunción Martínez (53, do Paraguai), além da representante legal do Próvolo, uma psicóloga, uma cozinheira e quatro diretoras da instituição.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade