Publicidade

Estado de Minas BRASÍLIA

Bolsonaro é internado em São Paulo após sofrer obstrução intestinal


14/07/2021 22:32 - atualizado 14/07/2021 22:37

O presidente Jair Bolsonaro foi internado nesta quarta-feira (14) por uma obstrução intestinal em um hospital de São Paulo, onde receberá "inicialmente" um "tratamento clínico conservador", de acordo com o último boletim médico, que descarta por enquanto uma cirurgia de emergência.

Após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador", relatou o hospital privado Vila Nova Star no boletim, assinado pela equipa médica chefiada pelo Dr. Antônio Macedo.

Bolsonaro foi transferido no fim da tarde, em um avião da Força Aérea, de Brasília para o aeroporto de Congonhas, de onde foi levado de ambulância para o hospital particular.

Macedo, que operou o presidente quando ele foi esfaqueado durante a campanha eleitoral de 2018, "constatou uma obstrução intestinal e decidiu transferi-lo para São Paulo, onde ele fará exames complementares para definir a necessidade" de cirurgia, informou o Palácio do Planalto.

Bolsonaro, 66, havia dado entrada pela manhã no Hospital das Forças Armadas, para investigar a causa de um soluço persistente, segundo outra nota oficial.

"Pessoal, estou sem voz. Se eu começar a falar muito, volta a crise de soluço. Já voltou o soluço", disse o presidente ontem, aparentando cansaço, a um grupo de apoiadores reunidos em frente ao Palácio da Alvorada.

Desde que assumiu a presidência, em 2019, Bolsonaro foi submetido a várias cirurgias abdominais para corrigir sequelas da facada que sofreu durante um ato de campanha em setembro de 2018.

O presidente foi admitido na manhã desta quarta-feira em Brasília na unidade de terapia intensiva e "chegou a ser intubado por precaução", declarou à rádio Jovem Pan seu filho, o senador Flávio Bolsonaro.

- "Mais um desafio" -

O autor do atentado, Adélio Bispo de Oliveira, um ex-filiado ao PSOL, foi diagnosticado com transtorno delirante e declarado inimputável pela justiça. Encontra-se hoje internado em uma unidade psiquiátrica de uma prisão de segurança máxima.

Bolsonaro, porém, afirma que a tentativa de assassinato foi planejada e teve respaldo político. Uma teoria que reiterou nesta quarta-feira em um tuíte sobre o problema de saúde mais recente.

"Mais um desafio, consequência da tentativa de assassinato promovida por antigo filiado ao PSOL, braço esquerdo do PT, para impedir a vitória de milhões de brasileiros que queriam mudanças para o Brasil. Um atentado cruel não só contra mim, mas contra a nossa democracia", escreveu.

Em 2020, o presidente teve covid-19, apresentando sintomas leves da doença e não precisou ser hospitalizado.

A internação de Bolsonaro ocorre em um contexto de crise política e de erosão de sua popularidade, com denúncias de corrupção em contratos negociados por seu governo para enfrentar a pandemia do coronavírus, que já deixou quase 540 mil mortos no país.

Além disso, uma CPI no Senado investiga as supostas omissões de seu governo na luta contra o coronavírus há quase três meses e nesta quarta-feira foi prorrogada por mais 90 dias.

As últimas pesquisas para as eleições de 2022 mostram que Lula o derrotaria por ampla margem.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade