Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

Biden pede a Putin para agir contra ataques cibernéticos com orgiem na Rússia


09/07/2021 18:38 - atualizado 09/07/2021 18:39

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, falou com seu homólogo russo, Vladimir Putin, nesta sexta-feira (9) e lhe pediu que tomasse medidas contra grupos que realizam ataques cibernéticos de ransomware da Rússia, anunciou a Casa Branca.

O presidente dos Estados Unidos, que já havia falado sobre o assunto quando se reuniu com Putin em Genebra em junho passado, está sob pressão desde o grande ataque contra a empresa de informática americana Kaseya, feito por hackers que falam russo, há uma semana.

"Ele falou com o presidente Putin sobre os atuais ataques de ransomware (sequestro de dados em troca de um resgate financeiro) por criminosos russos que afetaram os Estados Unidos e outros países", segundo um comunicado.

Biden também destacou a necessidade de que a Rússia detenha esses grupos e disse que está comprometida em abordar de forma abrangente a ameaça representada pelo sequestro de dados.

"O presidente Biden reiterou que os Estados Unidos tomarão todas as ações necessárias para defender seu povo e sua infraestrutura principal em face deste desafio contínuo", disse a Casa Branca.

A conversa "correu bem, estou otimista", disse Biden. Questionado se haveria possíveis "consequências" desse diálogo, garantiu que "sim", sem maiores detalhes.

- "Capacidade cibernética" -

O sequestro de dados nos Estados Unidos e em outros países aumentou drasticamente no ano passado e incluiu ações importantes, como a que paralisou um grande oleoduto no leste dos Estados Unidos.

Outros alvos de ataques de ransomware foram hospitais, departamentos de polícia das cidades e empresas privadas.

Embora Moscou negue qualquer responsabilidade por esses ataques cibernéticos, a maioria deles foram atribuídos a hackers que operam em território russo.

Em cúpula na Suíça, Biden e Putin abordaram o assunto e concordaram em continuar o diálogo com reuniões entre especialistas em segurança cibernética de ambos os países.

Nesse caso, Biden ameaçou seu homólogo com retaliação se certos limites fossem cruzados.

"Eu indiquei a ele que tínhamos uma capacidade cibernética significativa", relatou na época.

"A maioria dos ataques cibernéticos no mundo vem do espaço americano", respondeu Vladimir Putin, acusando Washington de não cooperar na luta contra os hackers.

Na conversa telefônica desta sexta-feira, o presidente russo manteve essa argumentação.

"Vladimir Putin observou que, apesar da disposição da Rússia em ajudar a combater os criminosos virtuais, nos últimos meses não recebemos nenhum pedido" de ajuda de investigadores americanos, observou um relatório do Kremlin.

Apesar de tudo, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que Washington "não tem nenhuma informação adicional ou nova que sugira que o governo russo liderou esses ataques", mas acrescentou que Moscou "tem a responsabilidade de agir".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade