Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

Funcionária que revelou fontes militares dos EUA no Iraque é condenada à prisão


23/06/2021 22:48

Uma tradutora do Pentágono foi condenada a 23 anos de prisão nesta quarta-feira (23) por ter revelado os nomes de informantes dos Estados Unidos no Iraque a uma pessoa ligada ao Hezbollah libanês.

Mariam Thompson, de 62 anos, chegou a um acordo com a justiça para se declarar culpada e admitiu ter transmitido informações confidenciais a um libanês para que ele as transmitisse ao Hezbollah, grupo que Washington mantém em uma lista negra de organizações "terroristas".

"Sua pena reflete a seriedade de suas ações: ela traiu a confiança do povo americano, das fontes que colocou em perigo e das tropas com as quais trabalhava", disse John Demers, encarregado de questões de segurança nacional no Departamento de Justiça.

De acordo com documentos judiciais, Thompson trabalhava como intérprete em uma base militar estrangeira quando estabeleceu, em 2017, um relacionamento por meio de um aplicativo de vídeo com um homem que lhe disse estar vinculado ao Hezbollah libanês.

"Com o tempo, ela desenvolveu um interesse romântico por ele", segundo a justiça americana.

Em dezembro de 2019, ela foi colocada ao serviço das forças especiais americanas em Erbil, no Iraque, quando os EUA realizaram ataques aéreos contra uma milícia pró-iraniana, culminando em 3 de janeiro com a morte do general iraniano Qassem Soleimani.

Logo depois, o contato de Thompson pediu a ela informações sobre informantes que poderiam ter ajudado os Estados Unidos. E ela enviou a ele pelo menos oito, assim como informações sobre táticas dos EUA.

Ela foi presa pela Polícia Federal em fevereiro de 2020.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade