Publicidade

Estado de Minas QUITO

Rã descoberta no Equador cativa por seus olhos vermelhos e homenageia Led Zeppelin


19/06/2021 20:45

Seus olhos vermelhos impactantes cativaram os pesquisadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador, em um esforço para chamar a atenção para a preservação dos anfíbios, e em homenagem à banda de rock britânica.

A Pristimantis ledzeppelin, com exemplares que medem entre 2,4 e 3,6 centímetros, foi descrita para a ciência pelos equatorianos David Brito e Carolina Reyes, cientistas do Museu de Zoologia da Universidade São Francisco de Quito.

Ambos recolheram três exemplares dessa rã entre 2016 e 2019, na comunidade de Rio Branco, província amazônica de Zamora Chinchipe. Sua pesquisa foi publicada esta semana na revista especializada "Neotropical Biodiversity".

O nome é uma homenagem à banda britânica, que teve seu apogeu na década de 1970. "Somos amantes do rock e dessa banda em particular", disse Brito à AFP. Carolina, por sua vez, indicou que o nome chamativo tem o objetivo de "promover a preservação dos Andes equatorianos, tomando essa espécie como bandeira".

A pesquisadora, que em seis anos de trabalho descreveu cerca de 20 espécies de anfíbios para a ciência, disse à AFP: "Foi a primeira vez que demos um nome que não se refere a algo relacionado à localidade ou ao Equador, ou a um personagem relacionado".

- Corrida contra o tempo -

Os exemplares de Pristimantis ledzeppelin chamaram primeiramente a atenção de Brito, por seus olhos vermelhos. Embora ele já tivesse visto rãs com essa característica, essa também tem cores e tamanho diferentes. "É uma rã muito bonita, porque tem olhos vermelhos e seu padrão de coloração difere um pouco entre machos e fêmeas", explicou o cientista.

A nova espécie apresenta manchas laranja, acobreadas e amarelas nas virilhas. "É bastante atraente", disse Brito.

Por enquanto, a espécie é considerada endêmica da Cordilheira do Condor, cadeia montanhosa situada ao leste do corpo principal dos Andes orientais e com fauna e flora ricas. Embora mais estudos devam ser feitos sobre a ecologia da espécie, a Pristimantis ledzeppelin é considerada ameaçada, pelo fato de atividades de pecuária, agricultura e mineração serem desenvolvidas em seu habitat.

No Equador, "temos muitas espécies para descrever. É uma corrida contra o tempo, pelas ameaças que elas enfrentam", disse Carolina Reyes, que faz doutorado em Portugal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade