Publicidade

Estado de Minas BRUXELAS

China, Rússia e Afeganistão se destacam entre as prioridades da Otan


14/06/2021 13:13

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmou nesta segunda-feira (14) em uma extensa declaração conjunta que suas prioridades são Rússia, China, Afeganistão, as "novas ameaças" e a urgência de uma maior cooperação com a União Europeia (UE).

Aqui estão cinco pontos centrais da declaração divulgada no final de uma cúpula realizada em Bruxelas.

- Reforço militar da Rússia

"O crescente reforço militar da Rússia, sua postura mais firme, as novas capacidades militares e as atividades provocativas, inclusive perto das fronteiras da Otan (...) ameaçam cada vez mais a segurança da região euroatlântica e contribuem para a instabilidade ao longo das fronteiras da Otan e além", apontaram os líderes.

Na declaração, a Otan também mencionou a "intensificação de ações híbridas", particularmente as "tentativas de interferir nas eleições e nos processos democráticos" de países aliados e "campanhas de desinformação em grande escala".

- Ambições chinesas

Os países da Otan registraram sua preocupação com as "ambições declaradas e o comportamento assertivo da China", já que causam "desafios sistêmicos à ordem internacional com base em regras e nas áreas de segurança" da aliança.

"A China expande rapidamente seu arsenal nuclear, com mais bombas e vetores mais sofisticados", diz a declaração comum, além de destacar que "está cooperando militarmente com a Rússia".

- Novas ameaças

"O terrorismo, em todas as suas formas e manifestações, continua sendo uma ameaça persistente para todos nós. Os atores estatais e não estatais desafiam a ordem internacional com base em regras e buscam arruinar a democracia em todo o mundo", aponta a declaração.

"Nós enfrentamos cada vez mais ameaças cibernéticas, híbridas e assimétricas de outro tipo, incluindo campanhas de desinformação, e o uso malicioso de tecnologias emergentes e disruptivas cada vez mais sofisticadas", acrescenta o texto.

Além disso, aponta que "a mudança climática é um multiplicador de ameaças que afeta a segurança da aliança".

- Defesa europeia

"A Otan reconhece a importância de uma defesa europeia mais forte e eficiente. O desenvolvimento de capacidades de defesa coerentes, complementares e interoperáveis, evitando duplicações desnecessárias, é fundamental para os nossos esforços conjuntos para tornar a zona euroatlântica mais segura", afirmam os líderes.

Esses esforços "levarão a uma Otan mais forte, ajudarão a fortalecer a nossa segurança comum, contribuirão para o compartilhamento transatlântico da carga, ajudarão a fornecer as capacidades necessárias e apoiarão um aumento geral do gasto em defesa", diz o documento.

- Papel no Afeganistão

"A retirada das tropas da Otan não significa o fim das nossas relações com o Afeganistão", diz a declaração.

Os líderes da aliança afirmaram que a Otan continuará fornecendo "capacitação e apoio financeiro às forças de segurança e defesa nacional afegãs" e que manterão "um escritório do Alto Representante Civil em Cabul para continuar o compromisso diplomático e fortalecer nossa associação".

A Otan está particularmente disposta a fornecer recursos para "garantir o funcionamento contínuo" do aeroporto internacional de Cabul.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade