Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Melbourne: segunda maior cidade australiana perto do fim do confinamento

Apenas um caso de COVID-19 foi registrado na cidade nas últimas 24 horas


09/06/2021 06:23 - atualizado 09/06/2021 08:58

(foto: AFP / William WEST)
(foto: AFP / William WEST)
O confinamento da cidade australiana de Melbourne, a segunda maior do país, terminará na quinta-feira à meia-noite, pois as autoridades acreditam que conseguiram conter o surto de casos de COVID-19.

O confinamento de duas semanas de cinco milhões de pessoas chegará ao fim depois que apenas um caso de COVID-19 foi registrado nas últimas 24 horas.

"É um bom dia, todos podem estar orgulhosos do que conseguimos", declarou James Merlino, primeiro-ministro do estado de estado de Victoria.

"Mas sabemos que isto não terminou e enquanto a vacinação não for generalizada em todo o estado e em todo o país, o vírus estará entre nós", advertiu.

No momento, os residentes de Melbourne não poderão se afastar por mais de 25 quilômetros de sua casa ou receber visitas. Mas eles poderão se encontrar em grupos de 10 em áreas externas.

As escolas e cafés poderão reabrir, mas as academias e casas noturnas permanecerão fechadas por ao menos uma semana.

A Austrália conseguiu conter a propagação da COVID-19 graças sobretudo a um controle drástico de suas fronteiras e à aplicação rápida de medidas de restrição a partir do momento em que um foco é detectado.

Desde o início da pandemia, o país contabiliza 30.000 casos de COVID-19, a maioria no estado de Victoria, e menos de mil mortes, em uma população de 25 milhões de habitantes.

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomas, prevenção, pesquisa e vacinação


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:
  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
Em casos graves, as vítimas apresentam
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade