Publicidade

Estado de Minas YAOUNDÉ

HRW exige do Camarões libertação de advogado dos direitos humanos


07/06/2021 21:54

A organização Human Rights Watch (HRW) exigiu nesta segunda-feira (7) a libertação de um advogado defensor dos direitos humanos detido há uma semana no Camarões, e ainda sob custódia, por "falsas acusações de incitação ao terrorismo".

Conhecido por sua participação na defesa de pessoas detidas no âmbito do conflito que há quatro anos confronta grupos separatistas anglófonos e o exército, o advogado Nicodemos Amungwa foi detido em 31 de maio em uma unidade da gendarmeria de Yaundé, onde atendia um cliente, segundo o HRW.

A minoria anglófona do noroeste e do sudoeste do Camarões rejeita a maioria francófona e o presidente Paul Biya, de 88 anos, há 38 no poder, por se sentir marginalizada, o que provocou um conflito mortal.

"Depois que Amungwa reivindicou uma violação do processo penal camaronês no caso de um cliente, a gendarmeria a cargo da investigação apreendeu o telefone (do advogado) sem ordem judicial, alegando que tinha tirado fotos" sem autorização, informou a organização.

"Ao procurar as supostas fotos, o gendarme encontrou outras fotos que documentam abusos militares supostamente cometidos nas regiões anglófonas do Camarões", acrescentou a HRW, citando os advogados de Amungwa.

O advogado permanece sob custódia na gendarmeria de Yaundé e seu pedido de liberdade sob fiança foi rejeitado por um tribunal militar.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade