Publicidade

Estado de Minas HAIA

Tribunal Especial para Líbano anula abertura de julgamento por falta de financiamento


03/06/2021 11:15

O Tribunal Especial para o Líbano (TSL) anunciou nesta quinta-feira (3) que, por falta de financiamento, anulou a abertura do processo contra Salim Ayyash, acusado de três ataques e já condenado pelo atentado que matou 22 pessoas, incluindo o ex-primeiro-ministro Rafic Hariri em 2005.

O TSL, com sede em Haia, Holanda, afirmou em um comunicado que a abertura do julgamento em 16 de junho contra Ayyash, também acusado por outros ataques mas sempre fugitivo, foi anulada "por falta de fundos".

Na quarta-feira, o TSL anunciou que está ameaçado com desaparecer devido à grave crise financeira que enfrenta como consequência da pandemia e da crise econômica no Líbano.

Em 18 de agosto de 2020, o tribunal condenou Ayyash à revelia à prisão perpétua, membro do movimento xiita libanês Hezbollah, por "homicídio intencional", pelo atentado contra Rafic Hariri - decisão atualmente sob apelação. Outros três acusados foram absolvidos.

Ayyash também é processado por três atentados contra o ex-líder do Partido Comunista libanês Georges Haoui, morto em 21 de junho de 2005, o ex-ministro Marwan Hamadé, ferido em outubro de 2004, e o ex-ministro da Defesa Elias Murr, ferido em julho de 2005.

O tribunal pediu novamente à comunidade internacional "para continuar fornecendo-lhe apoio financeiro".

Os custos totais do TSL são estimados entre 600 milhões e 1 bilhão de dólares.

O TSL foi criado após uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Seu mandato foi prorrogado por dois anos em fevereiro.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade