Publicidade

Estado de Minas CABUL

EUA devolverá principal base militar no Afeganistão em 20 dias


01/06/2021 18:38 - atualizado 01/06/2021 18:41

As tropas americanas no Afeganistão devolverão sua principal base, Bagram, "até 20 de junho", afirmou à AFP uma fonte militar afegã.

"Esperamos que o processo de devolução demore 20 dias, mas pode ser um período mais longo ou mais curto", disse o funcionário afegão que pediu anonimato.

"O ministério da Defesa criou um comitê especial para supervisionar e comandar a transferência da base", completou.

"Posso confirmar que devolveremos a base aérea de Bagram, mas não tenho detalhes nem um calendário para para anunciar sobre o tema", declarou à AFP um porta-voz das forças americanas, que pediu para não ser identificado.

Em Washington, o Pentágono informou nesta terça-feira que a operação de retirada das tropas acelerou-se significativamente e que já tinha avançando em 30% ou 40%.

Por enquanto, foram retirados do país o equivalente a 300 aviões de carga C-17 com material, segundo o Comando Central do Exército dos Estados Unidos.

Vinte anos depois do início da intervenção no Afeganistão, em outubro de 2021, as tropas dos Estados Unidos estão em processo de retirada de seus últimos 2.500 soldados.

O presidente Joe Biden estabeleceu como data limite 11 de setembro de 2021 para a conclusão de retirada, mas as operações estão aceleradas e podem terminar durante o verão no hemisfério norte.

A base militar de Bagram, situada 50 km ao nordeste de Cabul, na província de Parwan, é a principal base operacional americano no Afeganistão.

O local foi construído pelos soviéticos quando ocuparam o país (1979-1989) e chegou a abrigar até 30.000 soldados e civis americanos e força da Otan no auge das operações, em 2011.

Bagram também foi utilizada como centro de detenção, com denúncias da imprensa e da Anistia Internacional, que citou "centros de tortura" no local.

Paralelamente, uma delegação governamental afegã "limitada" de seis a oito pessoas chegou nesta terça-feira a Doha, onde se espera a retomada das negociações com os talibãs sobre uma possível distribuição de poder, apesar da continuidade dos combates.

"Nossa equipe está preparada para negociações sérias. Não há nenhuma solução militar para este conflito", declarou Najia Anwari, porta-voz do Ministério da Paz, à AFP, acrescentando que até o momento não foi fixada nenhuma data para retomar os diálogos.

No terreno, os insurgentes continuam com seus ataques, sobretudo no sul e nas províncias próximas a Cabul, onde conquistaram vários distritos.

Na noite desta terça, pelo menos dez pessoas morreram e outros dez ficaram feridos em dois ataques contra ônibus em Cabul. Outra explosão deixou sem eletricidade vários bairros da capital.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade